Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Domingo, 19 de Novembro de 2017
Todas as categorias
Ensino
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Ensino público/ Directores das escolas prometem “Mão dura”contra comportamentos injustos de professores

2017-04-28

(ANG) – Os Directores das Escolas Públicas do país, prometeram hoje tomar “duras medidas” contra os docentes , que por interesse pessoal têm tido comportamento injustos perante alunos.



Em reacção as críticas feitas pelos alunos, a Sub-Directora do Liceu Agostinho Netos Fatu Sonco disse que na verdade teve conhecimento de que existe professores que obrigam os alunos a comprarem os seus textos de apoio.

“ Já tomamos medidas relativamente ao assunto, e avisamos à todos os professores, para deixarem os seus textos com o pessoal da fotocópia, para que os alunos possam ter um único local de compra dos textos de que necessitam, em vez de serem os próprios docentes a comercializá-los”, informou a Sub-Directora.

Relativamente a denúncia da ausência dos professores naquele estabelecimento escolar, a Directora sustentou que existem períodos em que a referida prática aconteceu, acrescentando contudo que foi tomada de imediato medidas tendo a Direcção ordenado a marcação de faltas aos professores ausentes nas salas de aulas e ao desconto dessas faltas r nos seus ordenados no final do mês.

“Mas, na realidade, os alunos são mais faltosos que os professores.Nesta altura várias salas de aulas estão com poucos alunos porque já tomaram antecipadamente as suas férias de primeiro de Maio”, revelou Fatu Sonco

Aquela responsável atribuiu culpa aos alunos que alegam terem professores com idade avançada já sem capacidades para explicar bem as matérias, porque deviam apresentar queixa à Direcção do Liceu, para que este se digne resolver o assunto.

Demba Baldé, Director do Liceu Rui Barcelo da Cunha revelou que desconhece as queixas apresentadas pelos alunos relativamente as suas expulsão das salas de aulas por não comprarem os textos assim como aqueles que reclamaram por não não percebem bem a matérias explicadas por certos professores.

Baldé prometeu investigar o caso e resolvê-los de imediato para que nunca mais a referida prática aconteça na escola que dirige.

João Henrique Sambaro Candé, Director da Escola do Ensino Básico Unificado Salvador Allende, que exerce essas funções há pouco tempo, promete trabalhar no sentido de saber quais os professores que estão a ser injustos para com os alunos .

“Assim que eu descobrir vou puni-los com fortes medidas porque estamos aqui para ajudar os alunos. Imagine que, se nós como trabalhadores andamos as vezes sem dinheiro quanto mais os alunos que simplesmente estão ainda a estudar aonde e que vão arranjar dinheiro”, perguntou.

ANG/LLA/AC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw