Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 14 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise de refugiados/ Alemanha recebe milhares de refugiados

2015-09-07

(ANG)- Milhares de refugiados começaram a chegar à Alemanha, país que muitos veem como a terra prometida após fugirem da Síria e ficarem vários dias na Hungria, onde não se sentiram bem acolhidos pelas autoridades.



“Vim para cá, porque aqui tenho a certeza, eu fugi da guerra. A Alemanha quer ajudar-nos!, disse o jovem sírio Mustafa em entrevista à emissora alemã “ARD”. Outro jovem disse que foi para a Alemanha para encontrar a “mãe”, em referência à chanceler Ângela Merkel.

Cerca de seis mil refugiados já estão nas diversas cidades alemãs. Os primeiros comboios especiais chegaram sábado a Munique, onde os refugiados foram recebidos pelas autoridades e por muitos cidadãos com cartazes de boas-vindas.

“Em situações de urgência é preciso ajudar, por isso ajudamos. Mas todos os países têm que cumprir as suas obrigações. A Alemanha acolheu muitos refugiados e continua a acolher, a cultura de boas-vindas é grande entre nós. Mas precisamos que os outros países europeus também assumam compromissos”, disse o ministro alemão, Peter Altmeier.

Com base na situação crítica que ocorria na Hungria, a Alemanha e a Áustria decidiram permitir a entrada dos refugiados nos seus territórios.

A maior parte deles chegavam à Áustria apenas como um lugar de passagem, poucos pediram asilo no país e continuaram em direcção ao território alemão.

A Alemanha vai distribuir os refugiados que chegaram sábado de acordo com o sistema de quotas estabelecido na chamada “Fórmula de Konigstein”, que tem em conta tanto a população como o rendimento nos 16 Estados federados.

De acordo com esse sistema, actualmente o Estado federado que mais refugiados vai receber é a Renânia do Norte-Vestfália, seguida pela Baviera.

O sistema foi criado originalmente em 1949, para estabelecer as contribuições para o financiamento de instituições de pesquisa fora das universidades, mas posteriormente foi aplicado a outras questões para a quais é preciso dividir as cargas entre os Estados federados.

ANG/Jornal de Angola


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw