Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política PDD critica discursos do Presidente da República na Presidência aberta

2017-05-04

(ANG) O Partido Democrático para o Desenvolvimento (PDD), criticou os discursos proferidos em algumas regiões, pelo Presidente da República no âmbito da presidência aberta levada a cabo recentemente.



Em comunicado à imprensa à que ANG teve hoje acesso, o PDD, liderado por Policiano Gomes, criticou também o primeiro- ministro de “tentativa de levar a crise para o campo social e étnico, com as declarações feitas recentemente”.

O partido repudiou tais atitude e chamou atenção a população, sobretudo os jovens, para não se deixarem levar por este caminho “de aproveitamento político em termos étnicos e religiosos”.

O PDD acusou ainda o Presidente de desconhecimento das suas atribuições e competências, por estar sempre a interferir-se nas questões de estrita competência do Governo, em violação flagrante da Constituição da República.

Na nota, esta formação política acrescenta que José Mário Vaz não conhece os problemas do país, por isso viaja como se tudo estivesse bem, enquanto o país precisa de água canalizada, da luz eléctrica, de um ensino de qualidade, de hospitais em mínimas condições.

“o Presidente fala de combate à corrupção, em como não se deve desviar o dinheiro do Estado, mas no entanto, não publica o orçamento da Presidência Aberta para que o povo saiba quanto gasta e de onde provem o dinheiro.

“Deve ser o primeiro a dar exemplo de transparência na gestão das coisas públicas”, lê-se no comunicado.

Por outro lado, o PDD solicitou a classe política a pautar por um comportamento que dignifique o Estado e as suas instituições, evitando declarações incendiárias que só semeiam o pânico junto da população.

Em relação a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, CEDEAO e a Comunidade Internacional esta formação política pediu atitudes mais sérias e firmes, porque o país precisa de estabilidade política e partidária, da moralização de exercício de funções públicas e a do entendimento da oposição política como meros opositores, mas não inimigos, alvos a eliminar.

“Contudo continuamos a acreditar numa solução interna, por via do diálogo entre os políticos e na criação de condições para resolver todas as situações que possam pôr em risco a liberdade de expressão e de manifestação, assim como a integridade física e moral das pessoas”.

No documento o Partido Democrático para o Desenvolvimento indicou a realização das eleições gerais como a única solução viável para minimizar os danos causados pela crise político-institucional e consequentemente legitimação dos titulares de órgãos públicos.

ANG/LPG/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw