Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 25 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Saúde
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Saúde Pública/ Cidadãos guineenses preocupados com ressurgimento de novos casos de Ébola na Serra leoa

2015-09-08

(ANG)- Os Cidadãos guineenses estão preocupados com o ressurgimento de novos casos do vírus da febre hemorrágica do Ébola na República de Serra leoa, que faz fronteira com a Guiné-Conakry, país vizinho da Guiné-Bissau.



Em auscultações feitas hoje pela á ANG, Isaías Aienque da Costa Djú, de 30 anos de idade, funcionário do Ministério da Educação Nacional disse que face a esta situação de Ébola, o departamento da epidemiologia e higiene do Ministério da Saúde deve preocupar com estudos de causas e consequências desta doença, além demais da sua origem.

Aienque Djú acrescentou que o Ministério da Saúde tem que recrutar os jovens para capacitar e reciclar sobre os problemas do Ébola para poder passar melhor informações ás comunidades guineenses, no que diz respeito aos cuidados de prevenção da febre hemorrágica.

António João Sanca, de 28 anos dançarino do grupo teatral Netos de Bandim revelou que está muito preocupado com esta situação, mas o Governo a partir de agora deve manter o controlo das pessoas sobretudo dos estrangeiros, nas fronteiras que liga a Guiné-Bissau com os países vizinhos.

João Sanca pediu as autoridades guineenses no sentido de fazer todos os esforços de prevenção para que o vírus do Ébola não entrasse no País.

Etiandra Nabila de Araújo, de 27anos, empregada no Minimercado, Darlin, da capital considera que a situação é bastante preocupante, razão pela qual recomenda ao novo Governo a tomada de medidas, o mais rápido possível, para se evitar que a contaminação por ébola chegue ao pais”.

Francisca Fernandes Gomes, de 33 anos de idade, funcionária do Ministério das Pescas disse igualmente tratar-se de uma situação muito grave, porque o Ébola é uma doença fatal, razão pela qual os governantes devem fechar as fronteiras da Guiné-Bissau com os países vizinhos até que o problema seja completamente resolvido.

As autoridades serra-leonesas confirmaram no domingo um novo caso de contaminação por ébola naquele pais.

A nova vitima teria tido contacto com uma senhora vendedeira de comida que morrera de ébola na sua aldeia.

ANG/PFC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw