Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 26 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Economia
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Economia/ FMI desbloqueia 3,7 milhões de euros para a Guiné-Bissau

2017-05-22

(ANG) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) acordou com a Guiné-Bissau a transferência de uma tranche de 3,7 milhões de euros do empréstimo em curso ao país, depois de uma visita técnica que terminou na sexta-feira.



“A recuperação da atividade económica iniciada em 2015 está a prosseguir e a consolidar-se. O crescimento está a ser apoiado pela alta dos preços do caju, o aumento da atividade de construção e melhorias contínuas no abastecimento de eletricidade e água”, refere o FMI.

No entanto, a manutenção deste crescimento obriga o poder político a manter `esforços para preservar e fortalecer a disciplina orçamental e avançar nas reformas estruturais´, avisa a equipa do FMI, liderada por Tobias Rasmussen.

No comunicado final, o FMI explicou que as discussões com as autoridades foram centradas nas `principais medidas de disciplina orçamental assentes na melhoria da mobilização de recursos e no reforço do controlo da despesa´.

Por outro lado, o FMI registou “progressos significativos na gestão das finanças públicas”, dando como exemplo a `institucionalização de um Comité de Tesouraria operacional´, que `permitiu um melhor controlo da despesa´.

A isso somaram-se melhorias na administração tributária e aduaneira que `contribuíram para o reforço da arrecadação da receita´, salientou a organização internacional.

Contudo, para manter esta `trajetória económica positiva serão necessários esforços contínuos para manter e reforçar a disciplina orçamental e prosseguir com as reformas estruturais´.

Entre essas medidas, o FMI destaca a necessidade de `garantir o rigoroso cumprimento do processo da aprovação do orçamento, reforçar a gestão da dívida pública, enfrentar as pressões financeiras provenientes do sector energético e permitir variações nos preços dos combustíveis internos em linha com os preços internacionais´.

Na produção de caju, uma produção agrícola decisiva para a saúde económica do país, é ´igualmente importante assegurar um ambiente de competitividade saudável´ e `eliminar as incertezas em torno do quadro regulamentar´ do setor.

A proposta de transferência de mais esta tranche do plano de financiamento aprovado em 2015, e que pode atingir os 21 milhões de euros, deverá agora ser aprovada pelo conselho de administração do FMI, sediado em Washington.

ANG/Lusa


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw