Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 16 de Julho de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise política/ Especialista em gestão de conflitos defende solução interna como única saída

2017-05-31

(ANG) – O mestre em gestão de conflito e docente universitário Alberto Lopes da Costa disse hoje que a crise política no pais deve ser resolvida pelos próprios guineenses, através do diálogo consubstanciado no principio de “ganhar e ganhar” entre os actores políticos.



Em declarações à Agência de Notícias da Guiné, Alberto da Costa afirmou que a persistência da actual situação política revela a falta de preparação dos políticos guineenses na partilha do poder.

Como solução para ultrapassar a actual situação, Alberto Lopes da Costa pediu aos actores políticos nacionais a sentarem-se a mesma mesa para resolverem o problema.

“Ele é apenas um comunicador que procura ouvir as partes envolvidas na crise” resumiu referindo-se ao papel do mediador designado pela CEDEAO, Alpha Conde.

Na sua óptica os políticos nacionais podem ultrapassar a crise através de um diálogo franco deixando temporariamente os actores internacionais como forma de evitar influências externas que em nada contribuem na resolução da actual situação política do país.

Declarou que, para que o país e a sociedade guineense desenvolvem é necessário que haja um consenso no seio de todos os partidos políticos para que possa haver consensos na implementação de projectos de desenvolvimento.

“A guerra que estamos a assistir tem a ver com as reformas internas que a actual direcção do PAIGC pretende implementar na qual encontrou opositores que não estão interessados nesta via”, explicou Alberto Lopes.

Tanto assim que encoraja o líder dos libertadores, Domingos Simões Pereira a prosseguir com as reformas no partido baseando-se sempre no diálogo, por forma a ultrapassar eventuais querelas e promover o desenvolvimento do pais.

Apesar de reconhecer que deve haver mais respeito às pessoas e instituições da República, lembrou também a estes de que não estão imunes as críticas e quando isso acontece, devem procurar apresentar soluções aos problemas levantados.

ANG/LPG/ÂC/JAM


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw