Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 12 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Reino Unido/Eleições/ Theresa May vai pedir autorização à rainha para formar governo

2017-06-09

(ANG) – A líder do partido Conservador britânico, Theresa May, deveria deslocar-se ao palácio de Buckingham às 12:30 , as 11h30 horas de Bissau, para pedir autorização à rainha para formar governo, mesmo sem ter maioria absoluta, segundo fonte do gabinete.



Declarados 649 dos 650 lugares na Câmara dos Comuns, o partido Conservador elegeu 318, menos oito do que os necessários para uma maioria absoluta e menos 12 do que antes das eleições.

O partido Trabalhista adicionou 29 aos que possuía, somando 261 deputados. O líder do partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, já convidou a primeira-ministra, Theresa May, a dar lugar a um governo do ‘Labour’.

“Se há uma mensagem do resultado desta noite é o seguinte: a primeira-ministra convocou a eleição porque ela queria um mandato. Mas o mandato que tem é perda de assentos, é perda de votos, é perda de apoio e perda de confiança. Penso que é suficiente para se ir embora e dar lugar a um governo que seja representativo das pessoas deste país”, afirmou em Islington, após o anúncio da sua reeleição para deputado.

“Vamos aguardar o resto dos resultados, mas garanto o seguinte: no novo parlamento, faremos tudo para assegurar que o que dissemos nesta campanha e está no nosso programa eleitoral é apresentado ao parlamento para que este país seja diferente e se torne fundamentalmente um sítio melhor”, vincou.

Corbyn foi reeleito pela nona vez com 40.086 votos no círculo eleitoral de Islington North, com uma vantagem de 33.215 face ao segundo classificado, o conservador Toby Clarke. Foi o maior número de votos alguma vez obtido por um candidato neste círculo eleitoral e a participação a mais elevada desde 1951.

“A política mudou e não vai voltar para a caixa onde estava. As pessoas disseram que estão fartas da austeridade, dos cortes nos serviços públicos. Estou muito orgulhoso que o meu partido fez e do meu programa ‘para muitos, não para poucos’”, disse o líder trabalhista.

O Partido Nacionalista Escocês conquistou 35 lugares, os Liberais Democratas 12 (+4), o Partido Democrático Unionista (Irlanda do Norte) 10 (+2), o Sinn Féin sete (+3), os nacionalistas galeses do Plaid Cymru quatro (+1), os Verdes um e foi eleito um independente na Irlanda do Norte.

ANG/Lusa/Inforpress


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw