Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sexta, 20 de Outubro de 2017
Todas as categorias
Cultura
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Ramadão/ Governo oferece 2 mil sacos de açúcar à comunidade muçulmana

2017-06-19

(ANG) - O governo da Guiné-Bissau em parceria com a Presidência da República doou no último fim-de-semana dois mil sacos de açúcar aos muçulmanos como forma de lhes apoiarem no jejum e penitência que estão a enfrentar.



No acto, o Conselheiro Especial do Presidente da República, Braima Camará reconheceu que o número de sacos ficou aquém do desejado, mas salientou que o mais importante nesta situação é o gesto.

“ Trezentos e treze dos sacos serão distribuídos ao nível do sector autónimo de Bissau, 200 para região de Bafatá, igual numero para Gabú, 150 para Oio, 100 para Cacheu e a mesma quantia para Tombali e Quinara cada, 50 para Biombo e outros tantos para Bolama Bijagós”, explicou Braima Camará.

Acrescentou que instituições como a Presidência da República, Primatura, Ministério de Interior e dos Combatentes de Liberdade da Pátria, o Supremo Tribunal de Justiça e o Estado-Maior General das Forças Armadas terão cada 50 sacos, enquanto que a Assembleia Nacional Popular receberá 130, e que 30 sacos serão entregues ao Ministério de Comércio.

A nível dos partidos políticos, Camará disse que o PAIGC e o PRS beneficiarão de 50 sacos cada, o grupo dos quinze dissidentes nas fileiras dos “libertadores” levarão 30 sacos, o Partido Social Democrata (PSD), o Partido Nova Democracia (PND), a União para Mudança (UM) terão cada 10 sacos.

O Movimento de Apoio a Jomav beneficia de 30 sacos e as organizações islâmicas 37.

“Mais vale tarde do que nunca, pois muito embora já estarmos quase no fim do período de jejum, mas uma doação é sempre bem-vinda”, sublinhou o Conselheiro Especial que acrescentou que se trata de um esforço interno conjunto entre a presidência da República e o governo.

Por sua vez, em nome dos fiéis muçulmanos, Alanso Fati agradeceu o gesto e sublinhou que jamais pode ser considerada de tarde ou de pequena, qualquer que seja uma oferta, uma vez que o mais importante é a acção feita.

“Esta oferta demonstraa atenção do governo e da Presidência da República para com a comunidade muçulmana, por isso, deve ser distribuída para que cada fiel possa conseguir, mesmo que pouco, do que hoje recebemos”, apelou Fati.

ANG/AALS/ÂC/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw