Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 12 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Rússia/ Sanções dos EUA “ameaçam conjunto das relações” diz Serguei Lavrov

2017-06-23

(ANG) - O chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, denunciou quinta-feira as novas sanções norte-americanas contra a Rússia, considerando que “ameaçam seriamente o conjunto das relações” entre Moscovo e Washington.



“Este género de acções ameaça seriamente o conjunto das relações russo-americanas, que mesmo sem isso já registam um período difícil”, declarou o ministro em comunicado publicado pelo ministério russo dos Negócios Estrangeiros após uma conversa telefónica com o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson.

As sanções aplicadas “constituem vãs tentativas de fazer pressão sobre a Rússia”, considerou Lavrov, que confirmou a anulação de um encontro previsto para esta semana em São Petersburgo entre Tom Shannon, um alto responsável do Departamento de Estado, e o vice-ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Serguei Riabkov.

As relações entre a Rússia e os EUA estão no ponto mais baixo desde o reforço por Washington das sanções contra Moscovo pelo seu desempenho na crise ucraniana.

Na terça-feira, Lavrov tinha já denunciado a “obsessão russófoba” dos Estados Unidos, numa referência às sanções “decretadas sem qualquer fundamento”.

“Não vão permanecer sem reacção, incluindo sem medidas de retaliação da nossa parte”, advertiu igualmente na quarta-feira Serguei Riabkov, num comunicado da diplomacia russa.

As novas sanções, reforçadas após o encontro entre o Presidente dos EUA Donald Trump e o seu homólogo ucraniano Petro Poroshenko, visam 38 pessoas e entidades na Ucrânia e ainda dois responsáveis governamentais russos e uma dezena de pessoas e organizações que operam na Crimeia.

Para o Departamento de Estado, as medidas pretender “manter” o nível de pressão sobre a Rússia, e pelo facto de Moscovo estar a contornar as medidas anteriormente aplicadas.

As sanções “vão complicar” as relações entre Moscovo e Washington, lamentou em 15 de Junho o Presidente russo Vladimir Putin, logo após a sua aprovação pelo Senado norte-americano.

ANG/Inforpress/Lusa


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw