Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 26 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Saúde
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Saúde/ “Aumento de mosquitos não compromete estratégias de combate ao paludismo” diz Coordenador do PNLP

2017-07-12

(ANG) – O Coordenador do Programa Nacional de Luta Contra o Paludismo (PNLP) assegurou hoje que o fluxo de mosquito que se regista neste momento no país não irá comprometer as estratégias de combate ao paludismo e nem tão pouco no aumento de casos.



Paulo Djata que falava em exclusivo à ANG em reacção aos receios de alguns cidadãos sobre as possibilidades de o aumento de mosquitos contribuir na multiplicação de casos de paludismo na Guiné-Bissau, recusou esta possibilidade.

O coordenador justificou a sua afirmação com eficácia de estratégias adoptados pelo governo para combater o paludismo, e ,contudo, recomendou o uso de mosteiros impregnados e distribuídos recentemente pelo governo, para se livrar das picadas dos mosquitos.

Recomendou ainda o uso, a noite, de calças e camisas de mangas compridas como forma de se protegerem dos mosquitos, a pulverização da casa com insecticida, e não convivência com água estagnada.

Relativamente ao apelo feito por parte de alguns cidadãos sobre pulverização dos bairros de cidade de Bissau, o coordenador do Programa disse que tal accão não consta no plano de combate ao paludismo, porque para além de ser custoso é um processo que, se iniciado e não pode ser parado.

Ainda sobre as estratégias de combate ao paludismo, Paulo Djata revelou que para além da campanha de distribuição de mosquiteiros impregnados, continuam a fornecer os mesmos às mulheres grávidas e crianças recém-nascidas, bem como o uso de medicamentos nas crianças de zero a cinco anos.

Por outro lado, o Coordenador do Programa Nacional de combate ao paludismo anunciou para breve o início de distribuição de medicamentos antipalúdico para crianças de zero a cinco anos na província leste do país, por ser uma zona com maior número de casos de paludismo.

ANG/LPG/JD/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw