Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 12 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Portugal/ Costa prepara “mini-remodelação”, mas ministros estão seguros

2017-07-12

(ANG) - Depois das demissões dos secretários de Estado da Internacionalização, dos Assuntos Fiscais e da Indústria, há mais saídas a caminho no Governo, mas os ministros que têm estado na “corda bamba”, por causa de Pedrógão Grande e de Tancos, estão seguros.



Estes dados foram avançados ao Diário de Notícias por uma fonte do gabinete do primeiro-ministro depois de anunciadas as saídas dos secretários de Estado Jorge Costa Oliveira (Internacionalização), Fernando Rocha Andrade (Assuntos Fiscais) e João Vasconcelos (Indústria).

Os três governantes pediram demissão na sequência do “GalpGate”, tendo solicitado para serem constituídos arguidos no âmbito do processo criminal que investiga as viagens a França, realizadas durante o Euro 2016, e pagas pela Galp.

Nos próximos dias, vão sair do Governo outros “secretários de Estado que já tinham pedido para sair, por razões pessoais ou profissionais”, avança o DN, com base numa fonte do gabinete de António Costa.

O jornal assegura ainda que os ministros “estão todos de pedra e cal”, incluindo os detentores das pastas da Administração Interna e da Defesa, Constança Urbano de Sousa e Azeredo Lopes, envolvidos nas polémicas do incêndio em Pedrógão Grande e do assalto à base militar de Tancos.

Também Marques Mendes, no seu espaço de comentário na SIC, avança com a ideia de “mini-remodelação” no Governo, considerando que “é provável que saiam mais alguns secretários de Estado”.

“Esta mini-remodelação deverá acontecer daqui a duas semanas, provavelmente depois do debate do Estado da Nação”, refere ainda o ex-líder do PSD, realçando que estarão em causa saídas “anteriormente previstas, por questões pessoais”.

Quanto a remodelação de ministros, só depois das autárquicas, vaticina o comentador da SIC.

Sobre as saídas dos três Secretários de Estado envolvidos no “GalpGate”, Marques Mendes diz que “fizeram bem” em demitir-se, mas avisa que estas “baixas” representam “um rombo em postos-chave do Governo”.

Quanto a Rocha Andrade, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, Paulo Ralha, já veio dizer que esta saída poderá atrasar o processo de negociação do próximo Orçamento do Estado.

“Tudo vai depender do entendimento do próximo secretário de Estado, que pode ser diferente e poderá obrigar ao recomeço e regresso à mesa das negociações”, disse à agência Lusa Paulo Ralha.

As demissões de Jorge Costa Oliveira, Fernando Rocha Andrade e João Vasconcelos surgiram no seguimento de notícias de que haveria várias pessoas constituídas arguidas no âmbito da investigação criminal ao “GalpGate”, entre as quais está um assessor económico do primeiro-ministro, Vítor Escária.

Em causa está o possível crime de recebimento indevido de vantagem. António Costa já comentou as saídas dos Secretários de Estado, notando, em declarações ao Público, que “não podia negar-lhes esse direito”.

“Na semana passada, foram constituídos arguidos dois chefes de gabinete, os secretários de Estado acharam que deviam, eles próprios, tomar a iniciativa de requererem a sua constituição como arguidos e poderem exercer o seu direito de defesa“, explica ainda o primeiro-ministro.

Costa acrescenta que aceitou a demissão “apesar de não ter sido deduzida pelo Ministério Público qualquer acusação” contra eles, “nem consequentemente uma eventual acusação ter sido validada por pronúncia judicial”, conforme nota enviada pelo primeiro-ministro à Lusa.

O PSD já veio questionar o “momento político” para estas demissões que acontecem um ano depois de a polémica ter estalado.

ANG/ZAP // Lusa


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw