Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 26 de Setembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Dirigentes do PAIGC amedrontados em Mansabá/ Ministro do Interior exonera responsável da Policia do Sector

2017-07-20

(ANG) – O Ministro do Estado e do Interior, ordenou hoje a demissão do responsável da polícia de Mansaba, por “não ter seguido as orientações superiores” ao permitir que um grupo de jovens tenha ameaçado com arma de fogo e catanas a caravana do PAIGC que se deslocou ao sector no último fim de semana.



Num encontro com as estruturas superiores da Policia de Segurança do Estado, da Ordem Publica e da Guarda Nacional, Botche Cande, visivelmente irritado, ameaçou aplicar as mesmas medidas contra os responsáveis policiais locais caso situações desta natureza se repita em qualquer canto do território nacional.

O primeiro-sargento, Odair Madeira, Chefe de Operação no sector, ao ser convidado a recapitular os acontecimentos, explicou que a polícia teria sido alertada sobre algo, quando o grupo de jovens, alegadamente apoiantes dos “15”, incendiou pneus tentando impedir os elementos da Direcção do PAIGC de terem acesso a mesquita local, pelo que agiram tendo capturado e levado para a esquadra os implicados. Disse que depois de ouvirem as explicações destes, soltaram-nos.

No entanto, durante a sua explanação, o primeiro-sargento não falou de ameaças de armas e de catanas de que a juventude era portadora na altura.

“Portanto, podemos concluir que a polícia no local foi incapaz de cumprir com as orientações emanada superiormente, que era de garantir segurança a comitiva do PAIGC, uma vez que este partido havia endereçado um pedido neste sentido ao Ministério do Interior”, explicou o governante que acusa a polícia de Mansaba de ocultar deliberadamente as informações sobre as armas exibidas pelos manifestantes.

Acrescentou que durante o confronto entre os dois campos, alguém do grupo oposto a Direcção dos Libertadores tentou disparar uma arma de fogo, no que foi impedido devido a pronta intervenção de agentes de segurança.

Aliás, acusou ainda a policia de ter sido passivo ante os incêndios de pneus e arremesso de catanas contra elementos do PAIGC e sem que no entanto tenha constado isso no relatório policial.

Botche Candé justificou que, por este motivo, os responsáveis locais não merecem continuar no posto e ordenou ao secretário de Estado a proceder a imediata mudança na estrutura de Mansoa.

Candé apelou aos agentes a serem isentas na sua actuação e a proporcionarem segurança a qualquer instituição ou cidadão que dela necessitar, uma vez que, acima de tudo, estão ao serviço do Estado da Guiné-Bissau e não de A ou B.

ANG/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw