Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 18 de Julho de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Angola/ Mais de 20 por cento das mulheres vivem em relação polígama

2017-08-16

(ANG) - Um total de 22 em cada 100 mulheres angolanas assume viver numa união polígama, com um homem e várias companheiras, fenómeno que se verifica sobretudo nas áreas rurais, conclui o relatório final do Inquérito de Indicadores Múltiplos de Saúde (IIMS) 2015/2016.



De acordo com os dados do estudo, realizado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) angolano e consultado hoje pela Lusa, a relação polígama é mais assumida pelas mulheres (22 por cento), enquanto apenas 8por cento dos homens "declararam ter duas esposas ou mais".

"À medida que o nível socioeconómico aumenta, diminui a poligamia", reconhece o IIMS, acrescentando que a percentagem de mulheres "com uma ou mais coesposas aumenta com a idade". Varia de 9% entre as mulheres de 15 a 19 anos e 33 por cento entre as mulheres de 45 a 49 anos.

Além disso, a percentagem de mulheres com, pelo menos, uma coesposa é maior nas áreas rurais (29 por cento) do que nas áreas urbanas (18 por cento) e as mulheres com menor nível de escolaridade "são mais propensas a ter coesposas", já que 28 por cento das que declararam não ter escolaridade assumiram ter uma ou mais coesposas, contra 13 por cento das mulheres com nível secundário ou superior.

O estudo reconhece igualmente que a percentagem de mulheres em uniões poligâmicas varia consoante a província, sendo mais baixa em Luanda (14por cento) e na Lunda Norte (13 por cento), e mais elevada no Cuanza Norte (42 por cento).

No caso dos homens, o IIMS aponta que o número de esposas "aumenta com a idade", ou seja, varia de 2 por cento nos homens de 20 a 24 anos, para 14 por cento entre os 45 e os 49 anos.

Os resultados do IIMS 2015/2016 mostram que 55 por cento das mulheres e 48 por cento dos homens, entre os 15 e os 49 anos, são casados ou vivem em união de facto. Por outro lado, 92 por cento dos homens casados ou em união de facto declararam ter apenas uma esposa e 8 por cento declararam ter duas esposas ou mais.

Em média, as mulheres angolanas têm a primeira relação sexual aos 16,6 anos, enquanto os homens aos 16,4 anos.

ANG/Lusa


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw