Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sexta, 16 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


São Tome e Príncipe/ Presidente da República quer reestruturar polícia face a globalização

2017-08-28

(ANG) - O Presidente de São-Tomé e Príncipe, Evaristo Carvalho, defendeu a reestruturação da Polícia Nacional são-tomense através de formação de quadros, reforço da cooperação internacional, uso de equipamentos modernos e novas técnicas de intervenção face " aos crescentes desafios do mundo moderno e da globalização ".



Evaristo Carvalho, que é, por inerência de funções, o Comandante Supremo das Forças Armadas de São-Tomé e Príncipe, fez esta declaração em discurso proferido domingo no acto central do 42º aniversário da institucionalização da Polícia Nacional são-tomense em cerimónia que contou com o acto de juramento de bandeira de novos agentes policiais.

“A polícia nacional deve sempre ajustar-se as exigências de cada momento, reestruturando-se, formando quadros, aperfeiçoando as técnicas e modo de intervenção, equipando-se de meios mais modernos e eficazes, reestruturando e integrando no seu seio novos agentes com firme propósito de fazer face aos crescentes desafios que mundo, moderno e a globalização se nos colocam cada dia com maior acuidade”, sublinhou o presidente Evaristo Carvalho.

“ É preciso reforçar a cooperação internacional, neste domínio e tirar todas as vantagens que dela possam advir e para todas as partes envolvidas”, disse Evaristo Carvalho, tendo acrescentado que ”inserimo-nos numa sociedade global que globalizou igualmente os crimes e as ameaças que chegam hoje a todos os quadrantes do mundo “.

O Comandante Supremo das Forças Armadas são-tomense disse ainda que “tudo farei …para que o País tenha sempre uma polícia republicana, democrática, eficaz, moderna e ao serviço exclusivo do povo e da sua segurança”.

Tendo reconhecido a “inequívoca” vontade do governo no combate “eficazmente” da criminalidade e no reforço da manutenção da ordem pública e na garantia da segurança de pessoas e bens, o Presidente da República disse que “a segurança não é um problema exclusivo do governo e da polícia nacional “ tendo por isso, apelado a colaboração de todos pela consolidação da paz e tranquilidade no País.

ANG/FAAPA


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw