Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sexta, 22 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Religião
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Tabaski/ Fiéis muçulmanos guineenses lamentam aumento de preços de produtos no mercado

2017-08-31

(ANG) – Alguns fiéis muçulmanos guineenses ouvidos hoje pela ANG sobre os preparativos para a celebração do Tabasky que se assinala sexta-feira deploraram o disparo abrupto de preços de produtos da primeira necessidade no mercado nacional .



É o caso do Técnico de cortes gráficas da INACEP, Suncar Baldé que aponta a uma grave situação que o pais atravessa e cujos reflexos se sente em todos os domínios nomeadamente família, comunidade, religião e demais sectores da vida nacional.

“É muito grave quando o preço de um carneiro no mercado chega a atingir 200 mil francos Cfa”, ilustrou sem deixar de citar também os aumentos de preços de outros produtos de primeira necessidade tais como arroz, óleo alimentar, açúcar, farinha e géneros alimentares afins.

Para este técnico é urgente que o governo adopte medidas correctivas face a presente postura dos comerciantes. “O governo deve ter mão dura para sanear a situação vigente e que está a prejudicar a população em geral”, disse Suncar Baldé.

“Tudo esta mais caro no mercado, portanto, seremos obrigados a conformar-nos e celebrar a festa de acordo com as nossas possibilidades”, sublinha por seu lado a funcionária pública, Aua Camará, que recorda com nostalgias “alguns anos atrás”, período em que, segundo ela, a festa era assinalada com “pompa e circunstância” e as autoridades não toleravam especulações de preços dos produtos.

No entanto, enfatizou na necessidade do executivo impor a sua autoridade e fazer baixar as taxas alfandegárias e controlar os preços dos produtos comercializados nos mercados.

Finalmente, Seco Baldé, que exerce funções de Chefe de Redacção do semanário No Pintcha criticou os comerciantes pelas suas condutas neste período em que se regista alta procura por parte dos clientes, sobretudo os da confissão muçulmana.

“Isso afecta bastante”, criticou lembrando que a maioria dos próprios comerciantes pertencem a comunidade muçulmana pelo que exortou as autoridades, particularmente, a Inspecção Geral do Ministério do Comércio para agir em conformidade com a lei junto aos comerciantes.

A festa de Tabaski assinala-se sexta-feira com o abate de, pelo menos um carneiro, pelo crente muçulmano em homenagem ao profeta Muhammad S.W.A.

No Senegal a festa de Aïd al-Adha vai ser celebrada oficialmente no sábado, segundo a Comissão Nacional de Observação Lunar, mas uma parte da população se prepara para a celebrar na sexta-feira.

No país vizinho, os preços de carneiro são mais altos neste período de festa, segundo uma reportagem da Agência Marroquina de Informação, MAP.

Existem no Senegal várias categorias de carneiro e a mais cara chama-se Ladoum, uma espécie de carneiro de raça melhorado, fruto de cruzamento entre duas raças de carneiros do Norte do Senegal(Toubabaires e Maures).

Para um Ladoum , carneiros que seduzem pela corpulência, o preço varia entre 650.000fcfa à 03 milhões de fcfa.

ANG/JAM/LLA/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw