Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 26 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Sociedade
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Empregadas domésticas/ Associação da classe lança primeira campanha de recenseamento

2017-09-12

(ANG) – A Associação Nacional de Protecção das Mulheres Empregadas e Domesticas ANAPROMED procedeu hoje ao lançamento da sua primeira campanha de recenseamento das associadas, com duração de um mês.



Na ocasião, o ministro da Função Pública e Reforma Administrativa enalteceu a iniciativa da ANAPROMED em promover e defender os direitos das empregadas.

Tumane Baldé explicou que a lei de protecção das empregadas foi entregue a plenária da Assembleia Nacional Popular e não foi aprovada devido a actual crise política institucional.

O governante disse ainda que as empregadas domésticas merecem todo o respeito e consideração, porque elas contribuem para o bem-estar duma família, desde higiene, alimentação saudável e outros, acrescentando que ninguém vive uma semana sem comer ou ter casa limpa, daí que a importância da empregada é fundamental para o desenvolvimento socioeconómico de um país.

Esclareceu que uma mulher empregada não é criada como muitos pensam, mas são trabalhadoras como qualquer médico, engenheiro e outros profissionais.

Por sua vez, o presidente da ANAPROMED, Sene Bacai Cassamá disse que a sua organização pretende criar um banco de dados para um possível estudo ou pesquisa social e académico.

Salientou que no mês de Abril findo algumas Universidades promoveram encontros sobre a vida e carreira das empregadas domésticas.

Sene Cassamá informou que o banco de dados irá permitir enumerar as categorias das empregadas domésticas que existem no país, é o horário diário de trabalho.

“Sabemos que muitas das vezes o patrão ao contratar uma empregada mostra-lhe um trabalho com o tempo aumenta serviço e tempo de permanência sem aumentar o salário,” referiu.

Sene Cassamá disse que em 2015 fizeram um inquérito onde registaram cerca de 70 por cento das empregadas que que fazem todo o trabalho doméstico e até dormem, aos sabados, em caso do patrão por apenas 15 mil fcfa.

Cassamá afirmou que a referida campanha será feita somente na capital Bissau devido a falta de meios materiais e financeiro.

Informou que a sua organização, desde a sua fundação em Dezembro de 2014, já inscreveu 3018 membros ,e que não tem beneficiado de nenhum patrocínio, estando a trabalhar com dinheiro de quotas pagas pelos associados.

ANG/JD/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw