Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 19 de Julho de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política/ “ Alassane Ouatarra foi induzido à erro” , diz Silvestre Alves

2017-09-15

(ANG) – O jurista e analista político guineense Silvestre Alves considerou hoje que o Presidente da Costa do Marfim foi induzido a erro, por isso proferiu aquela declaração.



Numa recente declaração em Lisboa, o presidente da Costa do marfim Alassane Ouatara,disse que a solução para a crise guineense deve passar pela revisão da Constituição, provavelmente, estaria a defender a mudança do regime político de semi-presidencialismo para presidencialismo, praticado nos países da sub-região.

Em entrevista exclusiva à ANG, Silvestre Alves disse que Alassane Ouatarra dispõe de informações irónias, acrescentando que há gente interessada nessa opinião a circular dentro da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) e dos outros organismos sub-regionais, que de uma maneira estão a influenciar o processo político guineense.

“ O presidente Outarra precisa de saber o que é uma revisão constitucional, “disse.

O jurista argumentou que uma revisão constitucional não se faz de um dia para outro, explicando que tem que ser reflectida, estudada e debatida para que haja partilha de convergências de opiniões que serão consubstanciadas na revisão.

Disse que num país onde não há situação de conflito latente, é impossível falar da revisão constitucional.

Por outro lado, Silvestre Alves acusou o Chefe de Estado guineense de estar a arrogar poderes que a Constituição não lhe dá, ainda que a nível da sub-regional haja um sistema semi-presidencialismo com forte pendor presidencialista, que não é a solução constitucional da Guiné-Bissau.

“Se José Mário Vaz quer mudar a lei magna do país ou pretende chegar à este resultado, tem que criar diálogo e convencer as pessoas da bondade da solução. Por tudo quanto fez, desde a sua investidura até a data presente, está longe de chegar à esse ponto,” referiu.

O político disse que qualquer solução para a actual crise, tem que ser aferida pelos guineenses e que este povo está consciente de quem merece ou não a sua confiança.

Alves disse que as declarações de José Mário Vaz ao dizer ” que ele não tem competência para mudar a Constituição da República da Guiné-Bissau” é para despistar as atenções,” porque na verdade é do seu interesse”.

Disse ser triste que a Guiné-Bissau tenha governantes que não estão a altura das suas responsabilidades, porque estão mais interessados em resolver problemas dos seus bolsos.

“São uns autênticos salteadores e faltaram a verdade ao Presidente da Costa do Marfim”, disse.

ANG/JD/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw