Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 17 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise politica/ Presidência da República acusa Domingos Simões Pereira de se agarrar ao poder

2015-10-09

(ANG) - A Presidência da República acusou quinta-feira, o Presidente do PAIGC, Domingos Simões Pereira de pretender agarrar-se ao poder ao devolver ao Chefe de Estado os mesmos nomes que tinha recusado.



No comunicado assinado pelo Conselheiro e Porta-Voz da Presidência da República, Fernando Mendonça à que a ANG teve acesso, a Presidência da República disse ser “incompreensível a tentativa de manutenção da proposta governamental por parte de Domingos Simões Pereira, incluindo todo o seu grupo de interesses”.

Considerou o acto do Presidente do PAIGC como sendo sem precedentes ao ponto de criar “sérias dúvidas” aos olhos da Comunidade Internacional sobre se Domingos Simões Pereira está intransigente no interesse em servir o país ou, pelo contrário, está intransigente, no seu verdadeiro interesse, em servir-se do país.

Quanto às alegadas perseguições, tentativas de detenção e eliminação física, contra a pessoa do Presidente do PAIGC, a Presidência da República disse que tem recebido igualmente e diariamente, boatos, rumores e informações sobre pretensos planos de assassinatos do Presidente da República.

O comunicado refere que nunca a Presidência da República teve a irresponsabilidade ou cometeu a injustiça de vir ao público lançar suspeitas sobre esses eventuais beneficiários.

O Gabinete do Conselheiro e Porta-Voz da Presidência acusou ainda o lider do PAIGC de esconder da opinião pública nacional e internacional a verdade sobre o prolongamento da crise política, durante o tempo que lhe foi possível fazê-lo.

A Presidência da República ainda acusou Domingos Simões Pereira de ter instrumentalizado alguns sectores da sociedade civil que com ele alinhados a provocar a desordem social e desobediência civil, o que não teve sucesso, não obstante as avultadas somas investidas nas manifestações “espontaneamente organizadas”.

Disse que Simões Pereira tem revelado uma manifesta incapacidade de gerar consensos sustentáveis ao nível interno do PAIGC e nacional.

Conforme o comunicado, Domingos Simões Pereira tem inviabilizado todos os entendimentos possíveis fazendo constar na proposta de governo o seu próprio nome, bem como os nomes do seu grupo de privilegiados, tentando manter-se a todo custo no poder, como forma de assegurar o cumprimento de eventuais compromissos que assumiu.

ANG/FGS/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw