Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 24 de Outubro de 2017
Todas as categorias
Ensino
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Formação Profissional/ Professores do CENAI iniciam hoje greve de três dias

2017-10-04

(ANG) – O Colectivo de Professores do Centro de Formação Profissional Técnica Brasil-Guiné-Bissau (CENAI) inicia hoje uma paralisação de três dias , reivindicando a “efectivação de cerca de vinte docentes daquele centro”.



Em declarações hoje à ANG, o responsável do colectivo dos docentes João Biaguê Matu disse que a greve vem na sequência de um alegado incumprimento do memorando assinado entre o governo guineense e o Estado do Brasil em Abril deste ano.

Neste memorando, segundo João Matu, as autoridades nacionais deram prazo de 60 dias para regularização da situação dos docentes do referido centro.

“Desde então até a presente data não recebemos nenhuma informação da parte do Ministério da Função Publica ( a tutela) sobre a evolução do processo”, afirmou.

Acrescentou que no dia seis de Agosto último enviaram uma carta ao ministro da Função Publica, pedindo-lhe informações mas que não receberam nenhuma resposta.

João Biaguê Matu disse ainda que a maioria dos docentes trabalha no centro há sete anos “ sem receber salários da parte das autoridades nacionais.

“No referido acordo, o governo guineense assumiu pagar o ordenado dos professores e a parte brasileira pagaria aos mesmos um subsídio.Facto que não aconteceu ao longos dos sete anos de trabalho”, disse.

Enquanto isso, o Director do referido centro, Manuel Sami, informou que o processo de efectivação destes docentes está na fase final e que não foi concluído porque o governo, há dois anos, não despõe de Orçamento Geral de Estado.

“Não se pode efectivar uma pessoa para depois não estar a usufruir dos seus direitos laborais”, sustentou Sami.

Contudo, Manuel Sami reiterou o seu empenho para encontrar uma solução conjunta. Para o efeito, disse que pediu um encontro, para amanhã,quinta-feira entre o ministro da função público e o colectivo dos professores em causa.

ANG/LPG/QC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw