Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 24 de Outubro de 2017
Todas as categorias
Destaques
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Cairo/ Grupos rivais palestinianos alcançam acordo

2017-10-12

(ANG) – O Hamas e o rival Fatah alcançaram um acordo ao fim de dois dias de conversações à porta fechada, que decorreram no Cairo, com vista à reconciliação palestiniana, anunciou hoje o movimento radical islâmico em comunicado.



O gabinete do líder do Hamas, Ismaïl Haniyeh, anunciou que foi alcançado um acordo, sem facultar, porém, detalhes.

Os contornos do acordo devem ser conhecidos numa conferência de imprensa prevista para hoje na capital do Egipto, país que mediu os esforços de reconciliação.

Durante a ronda de diálogo foram abordados detalhes concretos da aproximação entre os dois grupos rivais, ao fim de uma década de divergências e de tentativas fracassas de reconciliação entre as partes.

O controlo da segurança na Faixa de Gaza ou o futuro dos 25.000 homens do braço armado do Hamas figuravam entre os dossiês mais difíceis das negociações pelo que muito provavelmente terão sido questões adiadas.

O Hamas assumiu o controlo de Gaza em 2007, após vencer as forças lideradas pelo partido Fatah do Presidente da Autoridade Nacional Palestiniana (ANP), Mahmud Abbas. Desde então, a ANP tem governado apenas os enclaves autónomos da Cisjordânia ocupada por Israel.

A Autoridade Palestiniana, entidade reconhecida internacionalmente e era suposto prefigurar um Estado palestiniano independente, é dominada pela Fatah, exercendo o seu poder limitado na Cisjordânia, por sua vez ocupada por Israel e que dista algumas dezenas de quilómetros da Faixa de Gaza.

Em Setembro, o Hamas, sob pressão, aceitou o regresso da Autoridade Palestiniana e do governo a Gaza, tendo o regresso sido materializado com grande pompa há cerca de uma semana, quando se realizou o primeiro Conselho de Ministros naquela cidade desde 2014.

As divisões palestinianas são consideradas como um dos principais obstáculos à resolução do conflito israelo-palestiniano.

Lusa/Fim


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw