Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 24 de Setembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política/ Artur Sanha nega ter sido convidado para vice-presidente do PRS

2017-10-13

(ANG) – O antigo Primeiro-ministro de transição e dirigente do Partido da Renovação Social (PRS),disse esta quinta-feira que a notícia que está a circular no país, segundo a qual terá sido convidado pelo Presidente do partido, Alberto Nambeia, para ocupar o cargo do vice-presidente e que recusou, não corresponde a verdade.



Artur Sanhá reagia assim, numa conferência de imprensa, “à notícia postas a circular nas redes sociais “de que tinha sido convidado por Alberto Nambeia para ocupar o cargo mas que declinou o convite.

“Depois do Congresso, desde o dia 29 de Setembro último até hoje não encontrei fisicamente com o presidente do partido e muito menos para me convidar a ser vice-presidente do PRS ”,informou.

Para Sanhá as pessoas estão a fazer ao Nambeia, o mesmo serviço contagioso que fizeram tanto com os ex-presidentes João Bernardo Vieira (Nino) como com o Kumba Yala . “Ou seja conselhos para destruir os adversários, incluindo as invenções contra personalidade de alguém”.

“ As pessoas devem deixar estas práticas principalmente aqui no PRS”, disse salientando que durante o 5º Congresso dos renovadores foi claro ao afirmar que vai priorizar o partido porque tem interesse no seu crescimento para dar a sua máxima contribuição para o bem da Guiné-Bissau.

O antigo Secretário-geral dos renovadores frisou que o programa maior do seu partido é chegar ao poder, salientando que não vai fazer nada que possa pôr este objectivo em causa.

Artur Sanhá disse que mantem aquela decisão até hoje, salientando que ele é uma pessoa, consciente naquilo que faz, acrescentando que um partido instável mesmo ganhando eleições não consegue governar.

“Por isso, vamos ajudar a estabilizar os partidos políticos da Guiné-Bissau, porque se isso não acontecer quem vier a ganhar eleições será um asar para o país “,afirmou.

Sanhá disse que já esta na direcção dos renovadores de uma forma automática pelo que não precisa ser convidado para a integrar.

Aquele dirigente dos renovadores considerou de pena o actual momento que o país está a viver, e referiu que antes da queda do Governo liderado por Domingos Simões Pereira tiveram a ousadia no parlamento de chamar a atenção de que tudo que começa mal acaba mal.

“Agora a situação do país esta bloqueada e só nós guineenses podemos encontrar a fórmula para sair desta situação de crise política que o abala. Muitas coisas que o parlamento devia resolver ficaram paradas, entre elas a legitimação do Governo para poder buscar fundos junto dos parceiros para o desenvolvimento da Nação”, disse.

Segundo Artur Sanhá, sem a aprovação do programa do governo, “mesmo tendo um Primeiro - ministro cientista” não pode conseguir recursos para fazer frente aos desafios que o espera.

ANG/MSC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw