Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sábado, 25 de Novembro de 2017
Todas as categorias
Justiça
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Assalto à sede do PAIGC/ “Chefe de Estado não compactua com actos atentatórios a estabilidade política e paz social”, diz Presidência da República

2017-10-19

(ANG) – O Presidente da República insta as autoridades policiais e judiciais a identificarem e responsabilizarem os responsáveis pelos incidentes ocorridos quarta-feira na sede do PAIGC, que considerou “acto condenável”.



Em comunicado à imprensa, o Conselheiro Porta-voz, Fernando Mendonça, fez saber que José Mário Vaz não teve conhecimento dos preparativos, nem compactua com a realização de actos atentatórios à estabilidade política e paz social.

A Presidência da República reagia assim as acusações do PAIGC de que o chefe de estado terá estado por detrás dos incidentes ocorridos quarta-feira na sede do partido.

Um grupo de indivíduos que dizem ser militantes do PAIGC tentou tomar de assalto a sede deste partido e o PAIGC responsabilizou o chefe de estado pelo incidente.

A Presidência da República afirma que José Mário Vaz tomou conhecimento de que um grupo de cidadãos nacionais terá tentado tomar de assalto a sede do PAIGC, através dos serviços internos da Presidência.

“O chefe de Estado em vários momentos dessa crise, nascida na sede do PAIGC e que culminou com o bloqueio do funcionamento do parlamento, demonstrou que a solução só pode ser encontrada na mesa das negociações, com humildade e na base do diálogo, da tolerância e do respeito mútuo”, refere o comunicado.

A nota acrescenta que, o Presidente da República sempre se esforçou por aproximar as partes litigantes do PAIGC tendo sempre deparado com “incompreensíveis resistências” de alguns actores políticos que privilegiam a via da confrontação e do bloqueio das instituições democráticas.

“Mais uma vez o Presidente da República, na qualidade de Presidente de todos os guineenses, garante da paz e órgão suprapartidário, interpretando as aspirações mais profundas do nosso povo, apela as partes desavindas do PAIGC a privilegiarem o diálogo e a tolerância, aos invés do confronto na resolução dos diferendos internos do partido”, lê-se na nota.

ANG/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw