Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Domingo, 22 de Julho de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Assassínio de jornalistas/ “De 2006 a 2016, 930 jornalistas foram mortos” no mundo, diz DG da UNESCO

2017-11-03

(ANG) – A Directora Geral da Organização da Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) afirmou que “ de 2006 a 2016, 930 jornalistas foram mortos” no mundo.



Na sua mensagem deste ano alusiva ao Dia Internacional pelo Fim da Impunidade por Crimes Contra Jornalistas que esta quinta-feira se assinalou, Irina Bokova detalha que “só em 2016, morreram 102 jornalistas na linha do dever”.

Segundo Bokota, o que torna esses números ainda mais insuportáveis é que, em mais de nove em dez casos, os perpetradores nunca são levados à justiça”.

“Devemos garantir a justiça para todos os jornalistas mortos. Isto é essencial para a sua memória - é vital fortalecer o estado de direito e a boa governança, e prosseguir com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, em especial o Objectivo 16 do Desenvolvimento Sustentável sobre paz, justiça e instituições fortes”, defende a DG da UNESCO.

Referiu que a justiça é uma pedra angular de uma sociedade livre, que dissuade aqueles que ameaçam a liberdade de expressão. “É por isso que a injustiça contra jornalistas é tão onerosa para todas as sociedades”, acrescenta.

Considerando as funções dos “media”, nomeadamente na promoção dos direitos fundamentais e no desenvolvimento das sociedades, esta responsável das Nações Unidas entende que os jornalistas “ devem ser defendidos, através de uma acção concertada dos governos, apoiadas pelas Nações Unidas, trabalhando com todos os atores relevantes, de organizações regionais internacionais, judiciários e meios de comunicação, bem como empresas privadas, universidades e sociedade civil”.

A Directora Geral da UNESCO concluiu a sua mensagem, dizendo que, neste momento, o mundo deve-se manter “ firme para reforçar a segurança dos jornalistas e garantir que a justiça seja feita”.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) foi fundada a 04 de Novembro de 1946, com o objetivo de contribuir para a paz e segurança no mundo, através da educação, ciências e informação.

Esta agência especializada da ONU tem sede principal em Paris, França.

ANG/QC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw