Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sábado, 25 de Novembro de 2017
Todas as categorias
Destaques
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise política/ Embaixador de Angola considera Acordo de Conacri “único instrumento” para saída da crise no país

2017-11-13

(ANG) - O embaixador de Angola na Guiné-Bissau, Daniel António Rosa, afirmou que o governo angolano, a semelhança da Comunidade Internacional, considera o “Acordo de Conacri” como o “único” instrumento político-jurídico para a solução do impasse político vigente na Guiné-Bissau.



Daniel Rosa falava no passado dia 11 do corrente mês, perante funcionários da Embaixada e a comunidade angolana residente na Guiné-Bissau, durante um almoço que ofereceu na sua residência oficial, em Bissau no âmbito das celebrações do quadragésimo segundo aniversário da independência de Angola.

Disse ainda que o seu governo acompanha com preocupação a atual crise político-institucional na Guiné-Bissau, a qual deseja ver ultrapassada, o mais rapidamente possível, para catapultar o país a atrair potenciais investidores estrangeiros para desenvolver a Guiné-Bissau.

Sobre a efeméride, Daniel Rosa disse que constitui o principal marco da história do país, porque foi nesta data que os angolanos se tornaram livres, independentes do regime colonial português, após longos 500 anos de colonização.

“Unidos nesta perspectiva, saudamos com solenidade os nossos heróis que se baterem para que os angolanos possam hoje viver em liberdade e trabalhar para ajudar Angola a crescer e se desenvolver, almejando atingir patamares de desenvolvimento de outras grandes e poderosas Nações”, assegurou o diplomata.

Rosa recordou que durante o percurso de 42 anos de independência, “Angola obteve várias conquistas, com particular realce para as obtidas após o alcance da paz definitiva em 2002. ]

Explicou que a preservação e a manutenção desta paz têm permitido o alcance do desenvolvimento, do progresso social e do bem-estar do povo angolano nos mais variados domínios da vida nacional, tendo frisado ainda que o mesmo tem permitido o relançamento do país, e que através do qual é possível hoje ver e viver uma “nova Angola”.

“Neste ano celebramos a tão importante efeméride num novo contexto. Angola realizou em Agosto último as suas 4ª eleição gerais, 3ª consecutiva. Estas eleições, consideradas pela Comunidade Internacional como um exemplo a seguir, consagraram vencedores, o MPLA e o seu candidato a Presidente da República, General João Manuel Gonçalves Lourenço. Foi uma transição política histórica, pacífica e ordeira que consistiu na saída do ex-Presidente da República, José Eduardo dos Santos”, enalteceu.

Sobre ausência das autoridades guineenses no evento bem como das personalidades políticas e diplomatas, explicou que a Embaixada decidiu este ano realizar uma atividade restrita para os seus funcionários e extensiva à comunidade angolana residente na Guiné-Bissau, como também aos amigos de Angola.

Ainda no âmbito das celebrações do quagragéssimo segundo aniversário da República de Angola, a sua Embaixada na Guiné-Bissau, Senegal e Gâmbia procedeu o lançamento de um portal electrónico para disponibilizar uma plataforma de comunicação a todas as pessoas interessadas em conhecer melhor o país, através do indereço www.embaixadadeangola.gw.

Ao presidir a cerimónia do lançamento do referido portal, no passado dia 11 de Novembro, o Embaixador da República de Angola na Guiné-Bissau, Senegal e Gâmbia afirmou que pretendem que o site seja um instrumento dinâmico de divulgação de Angola nos países da sua área de jurisdição e que aproxime ainda mais esta representação diplomática ao seu público.

ANG/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw