Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sábado, 25 de Novembro de 2017
Todas as categorias
Justiça
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Sociedade/ Cidadão Denilson Ferreira insurge contra regresso de Carlos Gomes Júnior

2017-11-14

(ANG) – O cidadão Denílson Ferreira, vulgo Doka, insurgiu-se hoje contra o regresso ao país do ex. Primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior que se encontra no asilo em Portugal.



Em conferência de imprensa realizada hoje, Doka afirmou que foi mandatado a falar em nome dos familiares dos falecidos Heldér Proença, Roberto Ferreira Cacheu, Baciro Dabó e outras figuras que, na sua opinião, foram vítimas do regime de Carlos Gomes Júnior.

“Quando soube da notícia de que um grupo de cidadãos está a preparar o regresso ao país do ex. primeiro-ministro com a colaboração do Ministério do Interior prontifiquei a abordar ao Botche Candé sobre a informação”, explicou.

SegundoDanilson, o ministro de Estado e do Interior respondeu-lhe que a instituição que dirige nunca esteve envolvida no processo de preparação do regresso de Carlos Gomes Júnior.

Denilson Ferreira afirmou que contudo como qualquer cidadão, Carlos Gomes Júnior pode voltar ao seu país natal, mas que deve ser responsabilizado pelas mortes que aconteceram durante o seu regime, tendo afirmado que nenhum crime de sangue foi julgado no país porque a justiça não funciona.

“A Guiné-Bissau é um país de impunidade e que promove a criminalidade”, afirmou, salientando que dispõe de informações de que alguns membros do actual governo e do denominado grupo dos 15, cujos nomes recusou a mencionar, marcaram encontros secretos no estrangeiro com Carlos Gomes Júnior com intuito de incentivar o seu regresso.

Declarou que é preocupante ver pessoas como o ex-ministro do Interior Fernando Gomes, que, “por ambição do dinheiro” estão a lutar a todo o custo para o regresso de Caros Gomes Júnior esquecendo que muitas famílias ainda estão s sofrer porque perderam os seus ente queridos durante o seu regime.

O núcleo de apoio ao regresso de Carlos Gomes Júnior, demitido por um golpe militar em abril de 2012 declararam recentemente que o regresso do ex-presidente do PAIGC está para breve.

ANG/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw