Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 10 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Ensino Público/ Greve do Sindeprof nao impediu comparencia massiva de alunos

2015-10-19

(ANG) - Os alunos das escolas públicas do pais, nomeadamente, dos Liceus Kwame N’krumah e Rui Barcelos da Cunha compareceram hoje em massa às aulas apesar da greve decretada pelo Sindicato Democrático dos Professores (SINDEPROF).



Em declarações ao repórter da ANG, Curumba Armando Sá, aluno do 11º ano no Liceu Nacional Kwame N’krumah, disse que a sua expectativa para o ano lectivo que hoje se inicia é enorme.

“Como aluno quero que este ano escolar seja um ano de sucesso, em que cada aluno vai poder tirar o seu aproveitamento e que os professores façam o máximo do esforço para que todos no fim podemos ter um bom ano lectivo” almejou.

Curumba Armando Sá disse que o momento não é apropriado para paralisar as aulas, salientando que os sindicatos do sector do ensino nesse caso o SINDEPROF, deviam ponderar uma vez que o país acabou de sair duma crise politica que paralisou todas as instituições públicas.

Segundo ele devia, o Sindeprof, esperar o momento oportuno para fazer a greve porque arrancar com a paralisação logo no inicio das aulas é pôr em causa os direitos dos alunos.

Diocliziana Gomes Por sua vez, Diocliziana Gomes Mugie, aluna da 9ª classe, do Liceu Agostinho Neto disse esperar um bom ano lectivo, sem interrupções ou greves e que o governo e seus parceiros da educação possam se entender para que não haja mais perda de dias lectivos.

Questionado sobre como está a ver o primeiro dia de aulas, Diocliziana Gomes afirmou que foi bom, uma vez que os alunos compareceram em massa e os professores também estão a corresponder com as expectativas dos alunos.

Falando da greve decretada pelo SINDEPROF, aquela estudante pediu ao bom senso das partes em discórdia uma vez que as aulas começaram muito tarde este ano, tendo pedido dialogo e ponderação entre o Governo através do Ministério da Educação e o Sindicato Demográfico dos Professores.

Por seu turno, o Director do Liceu Agostinho Neto, considera de positivo o primeiro dia de aulas na escola que dirige porque as aulas estão a funcionar de uma forma normal como tem sido o hábito naquele estabelecimento escolar nos últimos anos.

Director Geral do Liceu Agostinho Neto Samuel Fernando Mango acrescentou que a expectativa é grande tendo afirmado que está esperançoso que este ano seja melhor em termos de aproveitamento dos estudantes comparativamente ao ano passado, uma vez que o novo governo elegeu a Educação como uma das prioridades da sua execução.

“Para mim, a greve decretada pelo SINDEPROF não é oportuna.A solução para o diferendo que apõem as partes é e continua a ser o diálogo, porque é de conhecimento de todos que acabamos de ter um novo governo e sem querer entrar nas competências dos outros, pelo menos o sindicato devia dar um tempo para depois tomar a sua decisão “ disse o DG do Liceu Agostinho Neto.

Vença Mendes Vença Mendes, Director do Liceu Rui Barcelos da Cunha, referiu que as aulas já iniciaram segundo o calendário do Ministério da Educação e cada um deve assumir o seu papel, tanto a direcção da escola, os alunos, pais e encarregados de educação para o êxito do ano lectivo que começou.

“Já fixamos as listas de nomes dos alunos desde o passado dia 08 do mês em curso e todos os professores receberam os seus horários no passado dia 12 de Outubro e hoje iniciamos as aulas num ambiente saudável o que me encoraja.

ANG/MSC/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw