Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Todas as categorias
Destaques
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Sociedade/ Governo disposto apoiar a Sociedade Civil na promoção da segurança humana

2017-12-07

(ANG) – O Governo da Guiné-Bissau prontificou-se em apoiar os trabalhos da Sociedade Civil, em particular no que concerne a segurança humana.



A garantia foi dada quarta-feira pelo representante do ministro da Administração Territorial, Moisés Sow ao presidir a abertura do Atelier do Fòrum Nacional das organizações da Sociedade Civil da África Ocidental (FOSCAO).

Aquele responsável indicou que a Sociedade Civil na Guiné-Bissau possui um papel fundamental no processo do desenvolvimento do país tanto na vertente económica assim como social.

“O governo da Guiné-Bissau através do Ministério da Administração Territorial continuará a dar o seu total e incondicional apoio a estes tipos de iniciativas”, disse reforçando que tais permitem reforçar o papel da Sociedade Civil na capitalização de competências locais tendo em vista a criação de mecanismo nacional de alerta precoce.

Aliás, lembrou que esta decisão teria sido adoptada durante a Cimeira Ordinária de chefes de Estado e de governo da CEDEAO realizada em Julho de 2014 em Acra, Gana.

Moisés Sow acrescentou por outro lado que a CEDEAO confiou ao FOSCAO a mobilização das Organizações da Sociedade Civil que trabalham no domínio da segurança humana.

Segundo ele, o governo e os seus parceiros da Sociedade Civil, têm um papel fundamental na construção de estratégias concernentes a implementação de mecanismos de alerta precoce de respostas a nível do país, e nos restantes estados membros da CEDEAO.

Por seu Turno, o Presidente do Fórum Nacional das Organizações da Sociedade Civil na Guiné-Bissau (FOSCAO-GB) Paula Melo revelou que de acordo com as decisões dos chefes de Estados e governos da CEDEAO, durante de Acra, foi criada um centro para tratar dos mecanismos nacionais de alerta precoce e resposta rápida.

De acordo com a Presidente daquela organização, serão procedida a identificação da Organização da Sociedade Civil que trabalha no domínio da segurança humana, e serão registadas oficialmente a nível da sub-região, como actores de paz da CEDEAO.

ANG/LLA/ÂC/JAM


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw