Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 19 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise política/ Bispos guineenses reiteram apelo ao diálogo

2017-12-14

(ANG) - Os três Bispos da Guiné-Bissau, apelaram recentemente a classe política a dialogar e buscar soluções para o país por forma a satisfazer as necessidades básicas da população.



O apelo dos Bispos foi transmitido por Dom Pedro Zilli, Bispo de Bafatá, durante a homilia no termo da Peregrinação à cidade Santa de Cacheu sob o lema, “Maria ka bu medi pabia bu otcha graça diante di Deus“.

Falando na Missa da celebração da solenidade da “Imaculada Conceição da virgem Maria”, perante milhares de fiéis da comunidade católica guineense, Dom Zilli interpela os cristãos católicos a assumirem as suas responsabilidades civis e políticas, defendendo o “bem comum”.

“Cristãos guineenses devem continuar a participar na vida social e política do país, contribuindo positivamente para o bem comum. Queremos que a classe política dialogue e encontre soluções para o país, a fim de satisfazer a necessidade das populações guineenses, principalmente àquelas que vivem mais longe da capital que, para viajar, numa distância de 30 quilómetros, têm que andar quatro horas de tempo na viatura”, exortou Pedro Zilli.

O responsável máximo da Diocese de Bafatá assegurou que não é possível pular por cima da justiça, esperando a paz.

“É preciso passar pela justiça e a verdade para melhor libertar-se da situação que estamos a enfrentar no país”, adverte Dom Pedro Zilli.

O reverendíssimo Bispo de Bafatá responsável pelas comunidades do Leste e do Sul do país, justificando o lema escolhido para trigésima terceira edição da peregrinação, exortou aos membros da Igreja Católica guineense a não terem ‘medo’ na caminhada da sua Fé como acontecera com “Virgem Maria”.

Peregrinação Nacional ao Santuário da Nossa Senhora da Natividade em Cacheu, realiza-se anualmente. No dia 9 do corrente mês, sexta-feira à tarde, houve uma marcha de jovens de Capô para Cacheu (cerca de 7 km), seguida de adoração eucarística no recinto do Santuário. Os participantes rogaram a Deus bênção divina nas suas vidas pessoais, profissionais e familiares.

Na manhã de sábado dia 10 de Dezembro, os peregrinos provenientes de diferentes paróquias das dioceses de Bissau e Bafatá, reuniram-se debaixo da mangueira no recinto da Igreja para a celebração da santa Missa, presidida pelo Bispo de Bafatá, Dom Pedro Zilli, rodeado por Dom José Camnaté Na Bissing e Dom José Lampra Cá, Bispos da Diocese de Bissau.

A peregrinação à cidade Santa de Cacheu teve o seu início em 1984 a pedido do primeiro Bispo da Guiné-Bissau, o falecido, Dom Sétimo Artur Ferrazzetta, porque esta cidade foi a primeira cidade onde os missionários iniciaram a evangelização da palavra de Deus em 1590.

O Santuário de Nossa Senhora da Natividade de Cacheu é considerado primeira Igreja da Guiné-Bissau e foi construído pela família do antigo Governador de Cacheu, Honório Barreto em 08 de Setembro de 1590 que mais tarde acabou por passar essa capela aos paroquianos locais.

ANG/O Democrata


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw