Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 14 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Costa do Marfim/ País mais rico da África do Oeste francófona vai às eleições no domingo

2015-10-23

(ANG) - A Costa do Marfim, que vai às presidenciais domingo, é o primeiro produtor mundial de cacau e a primeira potência económica da África do oeste francófona.



O país reergue-se progressivamente de mais de uma década de crises político-militares e de divisão do seu território.

Antiga colónia francesa, a Costa do Marfim ascendeu à sua independência a 07 de Agosto de 1960 e Félix Houphouët-Boigny eleito presidente.

Em 1990, após 30 anos do poder do Partido Democrático da Costa do Marfim (PDCI) e uma vaga contestação, o multipartidarismo é instaurado, embora isso, Houphouët-Boigny conseguiu o seu 7º mandato.

Após a morte do "pai da Nação" em finais 1993, Henri Konan Bédié (PDCI) chegou ao poder. Ele ganhou as presidenciais de 1995, boicotadas pela oposição e marcadas por violentas manifestações de rua.

No dia 24 de Dezembro de 1999, um motim de soldados se transformou num golpe de Estado, o primeiro da história do país.

O general Robert Gueï anuncia a destituição do presidente Bédié. A 19 de Setembro de 2002, uma rebelião armada tenta derrubar o regime do presidente Laurent Gbagbo – no poder desde as eleições controversas de Outubro de 2000 – tendo-se amparado da metade do norte do país.

Qualificado paraíso de paz, o país voltou a estar dividido em dois, entre o Norte rebelde e um Sul lealista.

A França, estreitamente implicado para a procura da solução, leva a cabo uma operação militar e diplomática, tendo desdobrado em 2002 uma força de interposição entre rebeldes e lealistas para proteger os estrangeiros.

Paris lança a operação militar Licorne que evolui para uma força de reacção rápida para os Capacetes Azuis da Operação das nações Unidas (ONUCI), no terreno desde 2004.

Em Outubro-Novembro de 2010, uma presidencial, adiado seis vezes desde 2005, opôs Laurent Gbagbo ao seu rival Alassane Ouattara.

O país encontra-se outra vez com dois presidentes, o Conselho Constitucional tinha proclamado a vitória de Gbagbo e a Comissão Eleitoral a de Ouattara. A ONU reconhecia a vitória desse último.

Em Abril de 2011, Gbagbo é preso após mais de quatro meses do início crise, surgida da sua recusa de reconhecer a sua derrota a favor de Ouattara e que causou mais de 3.000 mortos.

Ele está actualmente em Haia e deverá ser julgado pelo Tribunal Penal Internacional (TPI).

A Costa do Marfim é o primeiro produtor mundial de cacau , com mais de 35% das colheitas mundiais e uma produção recorde de mais 1,7 milhões de toneladas em 2014. Café, castanho de caju (segundo produtor mundial).

Plantações de borracha, de algodão, óleo de palma ou de fritos. O sector agrícola representa 22% do PIB, mais de 50% das receitas de exportação, e sobretudo, dois terços de empregos e de proventos da população, segundo o Banco Mundial.

O subsolo costa-marfinense é rico em ouro, manganésio, diamantes, ferro, níquel e cobre, mas somente o ouro e o manganésio são extraídos de forma industrial. Por isso, a actividade mineira não ultrapassa em mais de 5 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), segundo dados oficiais.

O país conhecimento um crescimento de 9% nesses três anos e o RNB (Rendimento Nacional Bruto) por habitante eleva-se à 1.460 dólares (USD 1.00 equivale a Kz 125.00) em 2014, segundo o Banco Mundial.

País da África Ocidental banhada pelo oceano Atlântico, a Costa do Marfim conta com 23 milhões de habitantes, dos quais 5,4 milhões de estrangeiros, segundo os resultados do primeiro recenseamento nacional em 16 anos divulgado em finais de 2014.

A nacionalidade e a noção de d'+ivoirité+ é que estão no coração da crise costa-marfinense, porquanto o país conta com mais de 60 grupos étnicos. ANG/Angop


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw