Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 19 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política/ Carlos Gomes Júnior reitera ter voltado para promover a paz estabilidade e o desenvolvimento

2018-01-19

(ANG) – O ex-primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior afirmou hoje que voltou a Guiné-Bissau após cinco anos de exílio em Portugal como mensageiro para ajudar a promover a paz, estabilidade e o desenvolvimento do país.



Cadogo filho como também é conhecido falava depois de uma visita de cortesia ao Presidente da República, e disse que como amigo do chefe de Estado não podia deixar de o vir saudar cumprindo os traços que Amílcar Cabral os deixou.

“Como sabem, José Mário Vaz foi Presidente da Câmara Municipal de Bissau e pela confiança o nomeei ministro das Finanças durante o meu mandato.Como já disse vim como mensageiro da paz e farei tudo o que posso fazer para acalmar os ânimos”, prometeu, tendo apelado ao diálogo para encontrar formas de reconstruir o país, reforçar o sector económico e criar uma esperança nos jovens.

Questionado se sente seguro neste seu regresso ao país tendo em conta a forma como saiu, Gomes Júnior disse que está mais seguro no seu país do que em qualquer parte do mundo, onde dias após dias acontecem actos de terrorismo, atentados a bomba, acrescentando que na Guiné-Bissau ainda se vê o sorriso no rosto das pessoas.

“Estou disposto para encontrar com todos os dirigentes políticos inclusive os do PAIGC onde fui Presidente durante 12 anos. Não tenho compromisso com quem quer que seja .

O meu acordo é só com o povo da Guiné-Bissau que sempre me elegeu e me acompanhou. O exemplo disso foi o calor humano com que que me receberam ontem no Aeroporto de Bissau e de uma forma espontânea “,frisou.

Carlos Gomes Júnior afirmou que se o povo e os militantes do PAIGC o quiserem ele estará disposto para servir o partido e o país, frisando estar tranquilo em relação as acusações de assassinatos que ocorreram durante o sue mandato e se for chamado na justiça, como cidadão, irá responder com maior tranquilidade.

Carlos Gomes júnior manterá um encontro ainda hoje com o demissionário Primeiro- ministro, Úmaro Sissoco Embalo.

ANG/MSC/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw