Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Domingo, 22 de Abril de 2018
Todas as categorias
Sociedade
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Sociedade civil/ Novo presidente promete dirigir com isenção, equilíbrio e responsabilidade

2018-01-22

(ANG) – O novo presidente do Movimento Nacional da Sociedade Civil para Paz, Democracia e Desenvolvimento (MNSCPDD) prometeu este fim-de-semana que vai dirigir com isenção, equilíbrio e responsabilidade.



Fodé Carambá Sanhá fez esta promessa na cerimónia da sua tomada de posse tendo acrescentado que não vai poupar para promoção da coesão social, um elemento indispensável para a unidade nacional.

Disse que o contexto sociopolítico que o país vive, reclama de todos uma contribuição para superar as dificuldades do relacionamento institucional entre os atores políticos.

O Presidente do MNSCPDD disse que o diálogo e a reconciliação entre guineenses deve ser encarado como forma de resolver as quezílias políticas e superar os interesses antagónicos que têm penalizado o país face ao processo da construção do bem-estar comum.

Assegurou que vai trabalhar para que haja um ambiente cordial e democrático dentro do Movimento da Sociedade Civil e, entre este e as organizações parceiras, nomeadamente o governo.

Apelou à classe política e a sociedade civil para assumirem as suas responsabilidades com lealdade, coerência, patriotismo e honestidade face aos desafios do desenvolvimento associados aos valores da República.

Por sua vez, o presidente cessante, Jorge Gomes afirmou que a falta de diálogo sincero, franco e inclusivo entre guineenses contribuiu para a instabilidade recorrente no país, o que “nos tem deixado inquietos”.

“Urge afastar o clima de incerteza que se vive atualmente para permitir aos guineenses sonhar que é possível trabalhar para promover o desenvolvimento”, sublinhou Jorge Gomes.

O presidente cessante pede maior ordem nas instituições da República, para que assim se possa construir uma sociedade justa, assente em valores da paz, através de respeito à Constituição e as leis do país.

Durante a tomada de posse notou-se a ausência dos dois candidatos derrotados. Fodé Sanhá foi vencedor do II Congresso ordinário do movimento, eleito com 46 votos, na segunda posição ficou o candidato Osvaldo Nanque com 38 e por último, Fodé Mané com 32 votos.

ANG/JD/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw