Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 12 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Cooperaçäo/ Guiné-Bissau quer assumir-se como”plataforma” de acesso da China à CEDEAO

2015-10-26

(ANG) - O Secretário de Estado do Plano e Integração Regional (SEPIR) disse sexta-feira que a Guiné-Bissau quer assumir-se como “plataforma” de acesso das empresas chinesas e dos países de língua portuguesa ao mercado de 300 milhões de pessoas da Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO).



Degol Mendes que falava em conferência de imprensa realizada em Macau disse que um dos objectivos do Governo de Bissau é realizar um encontro empresarial no país em 2016 que junte os países de língua portuguesa, a China e a CEDEAO.

O dirigente guineense revelou ainda que uma delegação da província chinesa de Jiangsu visitará Guiné-Bissau antes do final do corrente ano para identificar possíveis áreas de investimento e cooperação.

A província chinesa de Jiangsu tem uma área de 102 mil quilómetros quadrados e uma população de cerca de 80 milhões de pessoas.

Jiangsu, junto a Xangai, é a quinta província mais populosa da China. Tem uma zona costeira com mais de mil quilómetros e possuiu o segundo PIB do país logo depois de Guangdong.

Degol Mendes participou na 20.ª Feira Internacional de Macau (MIF) à frente de uma delegação da Guiné-Bissau e assegurou que todas as previsões apontam para um crescimento económico de seu país em 2015 superior a 5 por cento apesar da “crise política”.

Cerca de 56 empresas chinesas operarem na Guiné-Bissau nos sectores da agricultura, pescas e construção civil.

ANG/MACAUHUB


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw