Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 15 de Outubro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


IX Congresso/ Líder do PAIGC apela Chefe de Estado para acabar com a crise política no país

2018-02-06

(ANG) - O líder do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) apelou segunda-feira ao Chefe de Estado para acabar com a crise política “insuportável”, porque “o povo guineense não merece continuar a ser martirizado”.



Domingos Simões Pereira que discursava na cerimônia de encerramento do IX Congresso do PAIGC disse não compreender o porquê de, apesar de todos os apelos de todos quadrantes, o Presidente da República continuar no caminho de uma política insustentável e perigosa, que perpetua a crise.

“Todos sabem qual é saída para actual crise, ou seja a aplicação do Acordo de Conacri, mas José Mário Vaz não quer dar este povo a estabilidade, porque está refém de um grupo de pessoas que usurparam o poder e estão disposto a tudo para minar os fundamentos do Estado do Direito e a unidade nacional, para lá se manterem, sem legitimidade” afirmou.

Manifestou-se satisfeito com o espirito de civismo e de patriotismo demostrados pelos militantes durante a resistência contra aqueles que, apesar de todas as evidências, não perceberam que os ventos da história são outros. “Isso ficará registado na história do partido”, disse.

“Graças a essa determinação foi possível realizar o congresso e mostrar ao país e ao mundo que ninguém, mas ninguém pode travar a firmeza de um povo quando a sua liberdade e justiça estão em causa”, sublinhou.

Domingos Simões Pereira agradeceu aos combatentes pelos conselhos sobre o caminho a seguir para a construção da paz e do progresso e todos aqueles que se solidarizaram com o PAIGC ao longo dos “dias difíceis”, em que a democracia e o Estado de Direito estiveram em perigo.

O líder reeleito do PAIGC enalteceu igualmente a presença do Colectivo dos Partidos Políticos Democráticos e renovou os votos para que continuem a lutar juntos para cimentarem uma “frente republicana” contra a “deriva autocrática” deste regime e restabelecer o Estado de direito democrático na Guiné-Bissau.

ANG/LPG/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw