Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sexta, 23 de Fevereiro de 2018
Todas as categorias
Destaques
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Industria/ “PALMCORP” promete investir na produção de óleo palma em Bubaque

2018-02-09

(ANG) – A empresa norte-americana denominada African Palm Corporation (PALMCORP) prometeu investir na produção industrial do óleo de palma, no sector de Bubaque, região de Bolama bijagós, sul do país.



De acordo com o jornal “o Democrata”, um acordo para o efeito foi recentemente assinado na Casa do Ambiente, em Bubaque entre o presidente da empresa americana, Óscar Faria e elementos representativos das diferentes comunidades das ilhas de Bijagós, tendo se comprometido a fornecer o produto apenas a essa empresa americana.

Para além da produção de óleo de palma, a Palm Corporation vai também investir na compra, colecta, repovoação, classificação, armazenamento, processamento e transporte dos produtos e derivados da palmeira, numa área estimada em mil hectares.

No documento, os régulos das comunidades das ilhas do arquipélago de Bijagós prometeram cooperar com a empresa para facilitar o intercâmbio e a interação com o membros das referidas cumunidades na realização de actividades relacionadas com os produtos derivados de palmeiras.

O acordo válido para 10 anos define que a empresa não é proprietário das terras mas sim responsável pela colecta, armazenamento, processamento, transporte do produto e derivados da palmeira.

Após assinatura do acordo, o presidente da empresa, Óscar Faria disse que estão despostos à contribuir para o desenvolvimento extraestrutural social das ilhas com dez por cento do rendimento anual, nos sectores da saúde, ensino, transporte, água potável e centros de formação profissional, bem como em outras necessidades apresentadas pelas comunidades.

“E mais: no âmbito desse acordo, vamos atribuir 90 por centro de emprego, ou seja 39 membros da comunidade das ilhas vão trabalhar na empresa”, garantiu. Óscar Faria revelou que todo o investimento vai ser assegurado pela empresa e que o preço da compra do produto será fixado pelas comunidades, antes do início da compra e venda.

“A comercialização e processamento industrial ficam reservados a empresa African Palm Corporation” ressalvou o empresário americano de origem Venezuelana.

ANG/LPG/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw