Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 20 de Setembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Holanda/ Autoridades russas negam qualquer envolvimento no abate do avião da Malásia

2018-05-25

(ANG) - Uma investigação internacional revelou ter provas concretas e legais de que o míssil que abateu o avião MH17 da Malaysia Airlines na Ucrânia, em julho de 2014, foi disparado por um sistema antiaéreo do exército russo.



O avião fazia a escala de Amesterdão para Kuala Lumpur quando foi abatido sobre a zona em conflito no leste do país. Morreram as 298 pessoas a bordo, a maioria de nacionalidade holandesa.

O The Guardian recorda que, em 2016, os mesmos investigadores holandeses tinham anunciado que existiam provas de que o sistema BUK envolvido no incidente tinha cruzado a fronteira do leste da Ucrânia com a Rússia e regressado após o abate do avião.

Em conferência de imprensa, esta quinta-feira, em Haia, a polícia e os investigadores mostraram as provas: fotografias e vídeos que identificam o sistema específico BUK como o responsável pelo lançamento do míssil.

As autoridades russas negam qualquer envolvimento no abate do MH17 e os meios de comunicação russos ligados ao governo têm divulgado várias teorias consideradas impossíveis, como a de que terá sido a Ucrânia a abater o avião.

A Rússia usou ainda o seu veto na ONU para impedir que um tribunal internacional determine a culpa pela tragédia, o que significa que qualquer julgamento posterior será realizado na Holanda e responderá apenas à lei deste país.

ANG/DN


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw