Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 10 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Liberdade de Imprensa/ MFWA registra 102 casos de violações na Africa Ocidental

2015-11-03

(ANG) - Cento e dois casos de violações da liberdade de imprensa sob forma de ataques físicos, prisões e detenções arbitrárias foram registadas do início do ano até aqui pela Fundação para os Medias na Africa Ocidental (MFWA).



No seu Relatório de Monitoramento da Violação da Liberdade de Imprensa publicado por ocasião do dia mundial de fim da impunidade, celebrada no dia 02 do corrente, a MFWA considerou lamentável que quase todos os responsaveis por essas violações ainda não foram chamados a justiça, consequentemente continuam impunes.

O mesmo documento afirma que quando os violadores da liberdade de expressão são deixados impunes, cria-se uma cultura neste ambito que, por sua vez, faz nascer o clima de injustiça e insegurança, resultando num mundo onde a liberdade de expressão é silenciada.

A MFWA saudou os esforços corajosos de jornalistas que trabalham em condições difíceis em toda a África Ocidental.

O Relatório de Monitoramento exortou aos países da África Ocidental a se comprometerem com a segurança dos jornalistas e garantia de justiça para as vítimas de violações da liberdade de expressão.

No mesmo periodo, em 2014, a MFWA havia denunciado 100 casos de violações da liberdade de imprensa, nomeadamente ataques, ameaças e detenções arbitrarias contra os profissionais da media

A resolução aprovada em 2013 pela Assembleia Geral da ONU sobre a segurança dos jornalistas e a questão da impunidade insta os Estados-Membros a prevenirem-se contra a violência aos jornalistas e trabalhadores da comunicação social.

O documento exorta aos paises membros a garantirem que os autores de crimes contra jornalistas e trabalhadores da comunicação social sejam responsabilizados perante a justiça.O relatório também pediu aos Estados para promoverem um ambiente seguro e de apoio para os jornalistas para que possam execer as suas actividades de forma independente e sem interferências indevidas.

ANG/FGS/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw