Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 16 de Outubro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política/ Primeiro-ministro procede abertura oficial do recenseamento eleitoral

2018-08-23

(ANG) – O Primeiro-ministro, Aristides Gomes, presidiu esta quinta-feira a abertura oficial do recenseamento eleitoral no país, mas os atos de recenseamento propriamente ditos ainda aguardam pela chagada de 300 kits de Nigéria.



Na cerimônia em que igualmente se procedeu a entrega das instalações da GTAPE (Gabinete Técnico de Apoio ao Processo Eleitoral) reabilitadas, Aristides Gomes disse que até ao momento o governo só tem disponíveis fundos disponibilizados pelo próprio governo, e que está a ser gerido pelo PNUD e pelo próprio executivo guineense.

Os trabalhos de recenseamento deveriam ter início hoje, Aristides Gomes confirmou que até então não têm todos os kits necessários para o início do recenseamento, tendo sublinhando que o seu executivo mobilizou todo o esforço para que os planos definidos possam funcionar.

“Temos imensas dificuldades que são inerentes à um processo organizado por um governo que não tem um controle efetivo de todos os parâmetros do processo de organização das eleições legislativas. A partir do momento que o governo não dispõe desses meios, a partida, para a organização e realização os fatores aleatórios acabam por pesar de forma muito forte”, lamentou Aristides Gomes.

Disse que, se a compra de kits fosse uma questão de compra e não de fabricação, em função do cenário utilizado, a equipa de recenseamento estaria no terreno a trabalhar.

Considerou que o atraso na chegada dos kits prometido pela Nigéria tem a ver com o problema de logística.

Garantiu que a partir das próximas eleições, o país vai poder realizar as eleições com recursos internos.

“O Governo está a criar condições financeiras através de uma gestão correta das finanças públicas. Vamos criar condições institucionais, propondo a Assembleia a institucionalização de um dispositivo jurídico que imponha a qualquer governante ou seja a qualquer equipa governativa do país a necessidade e imperatividade de contribuir gradualmente e anualmente para que possamos alimentar um fundo que permita realizar eleições com recursos próprios”, disse.

O Diretor-geral do Gabinete Técnico do Apoio ao Processo Eleitoral (GTAPE), Alain Sanca disse que vai reunir com os supervisores a fim de poder chegar a um consenso sobre o início do recenseamento no terreno, uma vez que o processo já está aberto.

Entretanto as autoridades guineenses receberam quarta-feira os formulários necessários para o recenseamento eleitoral.

ANG/DMG/CP//SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw