Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 16 de Outubro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


EUA/ Obama regressa ao palco político

2018-09-04

(ANG) – O antigo presidente norte-americano Barack Obama deve voltar a arena política ainda na próxima sexta-feira, após deixar a Casa Branca, em Janeiro de 2017.



Vários médios norte-americanos indicam que o 44º presidente dos Estados Unidos de América manteve sempre em aberto o cenário de um regresso à acção política, e que isso acontecerá já neste mês de Setembro, com Barack Obama a assumir um papel activo na luta de campanha dos democratas para as eleições intercalares de 6 de Novembro, nas quais se vai decidir a composição do Congresso dos Estados Unidos, bem como a governação em 36 estados.

Barack Obama afastou-se da arena política, evitou falar do seu sucessor Donald Trump e dedicou-se a outras causas, como as que envolvem a sua Fundação ou as conferências milionárias que dá pontualmente em algumas cidades.

É aguardada com expectativa a cerimónia pública de homenagem a Obama, na próxima sexta-feira, 7 de Setembro, na Universidade de Illinois, um estado onde o antigo presidente foi senador.

Obama vai ser condecorado com o prémio Paul H. Douglas (um antigo senador do Illinois) para a Ética na Governação e fará um discurso público transmitido online.

Segundo o site norte-americano Axios, Obama vai abordar alguns dos temas mais esperados da próxima campanha eleitoral, incluindo um apelo ao empenho do eleitorado democrata, historicamente dado à abstenção nas eleições intercalares.

Segundo a sua assessora de comunicação Katie Hill, Barack Obama vai apresentar algumas reflexões sobre o momento atual nos EUA e no mundo e como os norte-americanos devem atuar neste contexto, devendo também fazer um apelo aos norte-americanos para "rejeitarem a tendência crescente de políticos e políticas autoritárias".

Falta saber se nomeará diretamente Donald Trump ou não, ele que tem evitado fazê-lo até agora, mesmo quando criticou a reversão dos acordos climáticos de Paris ou a guerra de Trump ao plano de saúde Obamacare.

Depois da cerimónia na Universidade de Illinois, Barack Obama tem previstas intervenções em ações de campanha do Partido Democrata nos estados da Califórnia, Ohio e Pennsylvania, durante as próximas três a quatro semanas, e vai participar num evento de angariação de fundos em Nova Iorque, prometendo um outono quente no combate entre democratas e republicanos, com Obama e Trump como previsíveis protagonistas.

ANG/DN


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw