Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 26 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Economia
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crédito bancário/ "BCEAO disponibiliza cerca de dois biliões de francos semanalmente para Carteira de Credito de bancos da UEMOA", diz Director Nacional

2015-11-06

(ANG) - O Director Nacional do Banco Central de Estados da África Ocidental(BCEAO), afirmou que esta instituição bancária disponibiliza cerca de 1.7 biliões de francos CFA por semana para os Bancos da União Económica e Monetária Oeste Africana(UEMOA), assegurarem o financiamento das suas carteiras de crédito.



oão Aladje Mamadú Fadia, em declarações à imprensa, no final do terceiro encontro trimestral com os Directores Gerais dos Bancos em actividade no país, disse que a referida verba visa criar maior capacidade dos Bancos na concessão de créditos.

"Quando dissemos que há condições para os bancos aumentarem os seus créditos é por que essas condições existem de facto", sublinhou.

Aquele responsável salientou que o BCEAO providencia recursos e liquidez suficientes para que os bancos possam, de facto, conceder créditos sem constrangimentos.

"Agora, o problema que se põe é que os operadores económicos que normalmente solicitam créditos junto as bancas têm que reunir condições que garantam que na data de vencimento possam reembolsar o crédito recebido porque é financiado de uma parte pelos recursos dos depositantes", explicou.

João Aladje Mamadú Fadia revelou que o BCEAO, na sua actividade de previsão bancária dispõe de regras e exigências no sentido de garantir maior protecção dos depositantes.

Por sua vez, o Presidente da Associação dos Profissionais dos Bancos e Estabelecimentos Financeiros da Guiné-Bissau, Rómulo Pires sublinhou que ultimamente estão a ser mais rigorosos na concessão de créditos aprendendo com o que ocorreu menos bem no passado.

"Nós dos bancos, para a concessão de créditos exigimos actualmente elementos mais consistentes para nos permitir efectivamente intervir com maior segurança", disse Pires.

Romulo salientou que não há créditos sem riscos, acrescentando que quanto melhor for minimizado o risco é vantajoso tanto para os bancos como para os depositantes.

ANG/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw