Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 15 de Outubro de 2018
Todas as categorias
Cultura
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Cultura/ “A arte e cultura dão contribuição importante na formação de um país” ,diz Geraldo Martins

2018-09-17

(ANG) - O ex-ministro da Educação e da Economia e Finanças da Guiné-Bissau, Geraldo Martins, afirmou, que a arte e a cultura dão uma contribuição importante na formação de riqueza de um país e na formação do Produto Interno Bruto (PIB)



Martins fez esta afirmação a margem do terceiro dia da semana da arte e cultura, uma iniciativa da Geração Nova Tiniguena e a Rádio Capital, que decorreu na passada semana no Centro Cultural Brasileiro, em Bissau, onde abordou o tema “Arte enquanto estratégia de desenvolvimento”.

De acordo com Martins, nos países europeus a arte contribui com mais de 3 a 4% na formação do PIB, gera riqueza, emprego e rendimento para pessoas ligadas à área.

“Existem diversas atividades artísticas que são fontes de emprego e de rendimento, sobretudo para as camadas mais desfavorecidas da população, como por exemplo, o artesanato, teatro e dança que contribuem para coesão social e sentido de comunidade, de modo que as pessoas com menos força possam participar na economia”, explicou Martins.

Martins, que para além de economista e mestre em Gestão e Politicas Publicas, é também um homem ligado a arte, e realçou que agora existe uma grande competição devido a globalização entre os países e que a cultura começa a posicionar-se cada vez mais como um fator de vantagem comparativa entre países, para atrair visitantes e turistas para o crescimento económico.

Na sua curta declaração à imprensa, o antigo governante entende que para valorizar a arte e a cultura na Guiné-Bissau, é necessário que o país tenha uma política cultural e estabilidade política, para permitir ao país avançar nestas áreas consideradas cruciais para o crescimento económico.

Martins que foi quadro do Banco Mundial durante 10 anos na função de especialista principal em educação na Região África, lançou em Março de 2018, na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, o seu 1º livro de ficção – “Mil pedaços de Amor”, com 244 páginas em 65 capítulos.

Agora militante e dirigente do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), é autor de vários artigos e estudos científicos sobre a educação, a saúde e a proteção social.

A semana da arte e cultura que terminou no sábado, teve como objetivo promover um espaço de reflexão e debate entre os diferentes atores sociais, e foram realizadas diferentes atividades, desde a realização de inquéritos com os jovens sobre a arte, conferências, concursos, exposições artísticas e fotográficas, debates radiofónicos e atuações musicais.

ANG/Rádio Jovem


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw