Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 12 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Baciro Djá se demite do governo por alegada “quebra recíproca de confiança”

2015-06-24

(ANG)- O ex-ministro da Presidência do Conselho de Ministros e dos Assuntos Parlamentares endereçou terça-feira uma carta ao Primeiro-ministro, na qual pediu demissão por alegada “quebra recíproca de confiança” entre os dois.



Na missiva à que a ANG teve acesso , Baciro Djá afirmou que “havendo um conflito insanável” que torna “impossível a coabitação no seio de executivo, resultante das circunstâncias de ter deixado de subsistir a relação de confiança que outrora” os unia, cabe a ele “aceitar as regras democráticas e tirar as consequências políticas dessa quebra de confiança”.

Baciro Djá que é também o 3º Vice-presidente do PAIGC, partido no governo, acrescentou que “para além da quebra de confiança”, deixou de rever no executivo que o Simões Pereira “insiste em manter, por razões incompreensíveis, com vários membros de governo na condição de arguido em processo crime”.

“Esta situação põe em causa a imagem, a seriedade e a credibilidade das instituições do país perante o povo e os parceiros”, lê-se na carta.

Finalmente, Baciro Djá disse desejar maiores sucessos ao Primeiro-ministro, Domingos Simões Pereira, “nos seus propósitos de governação” e que informou-lhe que irá retomar o seu mandato de deputado no parlamento para continuar a defender o programa do PAIGC e a suportar o governo, “em tudo quanto corresponda aos superiores interesses do povo guineense”.

Os alegados desentendimentos entre Baciro Djá e o Presidente do PAIGC e Primeiro-ministro, Domingos Simões Pereira, vieram ao publico na última reunião do Comité Central do PAIGC, na qual este teria manifestado o seu desagrado com alegada conduta de Baciro Dja considerando-a contrária ao princípio da unidade e coesão interna e que terá comprometido a concretização de alguns objectivos da governação.

Se confimar a saída do Ministro Baciro Djá, será a segunda, dado que o antigo titular da pasta da Administração Interna, Botche Candé,havia deixado o cargo por alegado comportamento prejudicial ao Estado guineense em relação ao caso que envolveu os rebeldes de Casamance, República de Senegal.

ANG/QC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw