Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 15 de Outubro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


França/ Justiça nega recurso do ex-presidente Sarkozy

2018-10-10

(ANG) - O Tribunal de Recurso de Paris rejeitou reentemente um recurso do ex-presidente francês Nicolas Sarkozy das acusações de “corrupção” e “tráfico de influência”, formuladas pela Procuradoria Nacional Financeira, no âmbito do chamado caso das escutas.



Sarkozy, que foi presidente de França entre 2007 e 2012, pretendia com este recurso não ser julgado, como defende a Procuradoria Nacional Financeira.

O Tribunal considerou o recurso “incorrectamente fundado” dado que nenhum dos elementos suscitados pela defesa “figura entre os previstos pela jurisprudência para permitir a anulação de uma acusação definitiva”, segundo fonte judicial citada pela agência France-Presse.

O ex-presidente espera ainda o resultado de outros dois recursos que apresentou: uma questão prévia de constitucionalidade e um recurso da decisão tomada em Março de o levar a julgamento, antes da apreciação do recurso hoje decidido. O eventual julgamento depende das decisões que forem tomadas nestes dois recursos.

Sarkozy deve ser julgado juntamente com o seu advogado Thierry Herzog e o antigo magistrado Gilbert Azibert.

O processo tem a sua origem em escutas ao telefone de Sarkozy, por ordem judicial, para esclarecer suspeitas de que teria recebido dinheiro do líder líbio Muammar Kadhafi (1960-2011) para financiar a campanha eleitoral de 2007, do que acabou por ser formalmente acusado a 21 de Março passado.

Mas as escutas revelaram também conversas entre o ex-presidente e o seu advogado sobre a necessidade de obter, através do juiz Azibert, informação sobre o processo sumário que investigava o alegado financiamento ilegal da campanha de 2012 pela herdeira do império de cosmética L’Oréal, Liliane Bettencourt.

O Supremo Tribunal validou a quase totalidade das escutas, sobre as quais assentam as acusações, abrindo caminho à realização do julgamento.

ANG/Inforpress/Lusa


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw