Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 16 de Julho de 2019
Todas as categorias
Destaques
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Forças Armadas/ Guiné-Bissau acolhe “Felino 2020”

2019-03-21

(ANG) - O Chefe de Estado-maior anunciou quarta-feira que o país vai acolher o evento militar da Comunidade dos Países da Língua Portuguesa (CPLP) em 2020 e que por isso, os militares guineenses devem receber formação na área operacional, tática e informática para que possam assegurar o evento.



Biaguê Na Ntan falava durante um encontro com chefias militares no qual felicitou as forças militares pelo empenho demostrado durante a realização das eleições legislativas de 10 de março, consideradas justas e transparente .

“A Guiné-Bissau vai acolher o evento militar de CPLP pela primeira vez, os militares serão responsáveis pela realização do evento, assim sendo, precisam ser capacitados para que possam realizar, da melhor forma possível, este acontecimento militar”, explicou Na Ntan.

Acrescentou que Felino é um evento militar que visa o fornecimento das modalidades dos exercícios militares na carta e treino operacional das forças dos Estados membros da comunidade lusófona.

“Felino tem como missão ajudar na realização das operações humanitárias e de apoio à paz, de modo a incentivar uma força de paz a nível da CPLP”, acrescentou.

Por outro lado, o Chefe de Estado-maior General , felicitou os militares por terem distanciado da política, tendo acrescentado que a ética e deontologia profissional, o cumprimento das normas do regulamento da Disciplina Militar deve merecer sempre a atenção dos militares.

Na Ntan lançou um apelo à força conjunta ( militares, Polícia da Ordem Publica, ECOMIB e Guarda Nacional) no sentido de continuarem com a promoção da estabilidade interno para que a Comunidade Internacional possa retirar sanções à algumas chefias militares.

O Chefe de Estado-maior destacou ainda a necessidade de formação continua para a classe castrense e de equilíbrio da dieta alimentar nas casernas, de modo a evitar mortes precoces de militares.

ANG/AALS//SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw