Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Domingo, 18 de Agosto de 2019
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


UNTG/ Secretário-geral afirma que pagar salário deve ser prioridade de qualquer Governo

2019-04-16

(ANG) – O Secretário-geral da União Nacional dos Trabalhadores da Guiné (UNTG) afirmou hoje que pagar salários à tempo aos funcionários deve ser prioridade de qualquer que seja Governo.



Júlio Mendonça, em entrevista à ANG, em reacção ao atraso no pagamento de salários dos funcionários da função pública, referente ao mês de Março findo, disse que já avisaram ao executivo de que podem tolerar tudo menos o não pagamento de salários.

“Por isso, desde a semana passada estamos a advertir de que, se o Governo no pagar salários até o final da semana em curso, vamos entregar um pré-aviso de greve, e cuja paralisação vai durar até a entrada em função do novo Executivo , “avisou.

Mendonça disse que não vale a pena trabalhar sem ser remunerado uma vez que o executivo liderado por Aristides Gomes preocupa só com o seu luxo , para deixar a dívida. “Por isso reafirmo que a UNTG não vai permitir isso”.

Para o sindicalista, o Governo dispõe de tempo suficiente para pronunciar e explicar aos funcionários o que é que está por detrás do grande atraso verificado no pagamento do ordenado do mês de Março do ano em curso.

Mendonça salientou que não se pode continuar a criar ,em vão, expectativas às pessoas ou seja, os trabalhadores a sacrificar e os governantes a viajar sem soluções.

Disse que não se sabe o que levam, mas que, de certeza, não trazem nada que beneficia o país.

Júlio Mendonça qualificou a decisão do Governo de pagar certos funcionários em detrimento de outros,de “maior injustiça”, e disse que isso só é feito por alguém que não tem sentido de Estado, “porque uma pessoa ou governante responsável não ia promover esta injustiça”.

O secretário-geral da UNTG se referia ao facto de alguns bancos terem pagos os funcionários que recebem seus salários nesses bancos enquanto que outros bancos não.

“Há indícios claros de que este Governo praticou corrupção e esperamos que o Tribunal de Contas, o Ministério Público através da Polícia Judiciária venham a ter a coragem de fazer uma auditoria no Ministério das Finanças para confirmar que este executivo é constituído de assaltantes às coisas públicas e que estão a aproveitar-se dos últimos dias no Governo para delapidar a coisa pública, o que incapacitou o Governo de pagar os salários “,frisou.

Falando em relação ao eventual frente única com a Confederação Geral dos Sindicatos independentes (CGSI-Guiné-Bissau), Mendonça disse que desde a entrada em função da nova direcção, a UNTG tem vindo a entabular contactos no sentido das duas organizações da defesa dos trabalhadores juntarem estratégias para poderem andar juntos, uma vez que a união faz a força.

Mendonça disse que, lamentavelmente, isso não foi possível e que tiverem que fazer as paralisações sozinhas.

ANG/MSC/AC//SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw