Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sábado, 25 de Maio de 2019
Todas as categorias
Destaques
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Função Pública/ UNTG ameaça entregar pré-aviso de greve na próxima terça-feira

2019-04-18

(ANG) – O Secretário-geral da União Nacional dos Trabalhadores da Guiné (UNTG), Júlio Mendonça ameaça entregar um pré-aviso de greve na próxima terça-feira para uma paralisação de três dias a começar no dia 7 do próximo mês de Maio.



Numa conferência de imprensa realizada esta quinta-feira, Júlio Mendonça afirmou que o país tem condições financeiras para resolver todos os problemas sociais que ocorrem no país, inclusive todos as exigências feitas no caderno reivindicativo entregue ao governo desde o mês de Janeiro do ano em curso.

O sindicalista disse que, devido a inflexibilidade do executivo, nunca este se digna a sentar a mesa para chegar a um ponto de entendimento com os sindicatos.

“Fizemos cartas duas vezes pedindo a convocação do Conselho Permanente de Concertação Social, para permitir a interação e diálogo entre o governo e seus parceiros sociais, mas não surtiu efeito. Continuamos a insistir, e nas diferentes ocasiões que temos, sempre mostramos a necessidade de se sentar a mesa, mas nunca aconteceu”, revelou Júlio Mendonça.

Segundo aquele sindicalista, os problemas que existem na classe trabalhadora guineense não se relacionam apenas ao pagamento dos salários.

Mendonça destaca a necessidade de dignificação da classe enquanto servidores do Estado.

Exorta os deputados empossados a discutiram e aprovarem o Projeto de Código de Trabalho que está na Assembleia Nacional Popular há muito tempo a fim de poder ser aplicado.

Prometeu lutar, sem tréguas, contra qualquer político que quer enriquecer no cofre do Estado.

Júlio Mendonça disse que a Função Pública deve ser despartidarizada, justificando que o princípio de legalidade, de igualdade e de oportunidade deve ser cumprido e deve haver o concurso público assim que houver vagas.

Apelou ainda aos órgãos de soberania para assumirem as suas responsabilidades, pedindo ao Tribunal de Contas para fazer auditorias em todos os ministérios para se saber como são geridos os bens públicos.

ANG/DMG/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw