Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 23 de Julho de 2019
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Bruxelas/ UE aprova verba de 1,5 milhões de euros para Moçambique

2019-04-29

(ANG) - A União Europeia (UE) aprovou hoje uma verba de 1,5 milhões de euros para ajuda humanitária no norte de Moçambique e no arquipélago das Comores, afectados pela passagem do ciclone Kenneth, que provocou mortes e importantes estragos, noticiou a Lusa.



O novo financiamento irá ser usado para disponibilizar ajuda alimentar, abrigos, água potável e saneamento, entre outros bens essenciais.

“Moçambique está a enfrentar um duplo desastre, depois de um segundo ciclone devastador ter atingido o país no espaço de um mês”, disse o comissário europeu para a Ajuda Humanitária, Christos Stylianides.

O comissário sublinhou ainda que a UE vai actuar com rapidez, considerando que Moçambique ainda está a recuperar dos efeitos do primeiro ciclone a atingir o país, o Idai.

O ciclone Kenneth provocou chuvas intensas especialmente na província de Cabo Delgado a 25 de Abril, com ventos que atingiram os 200 quilómetros por hora, um dia depois de ter passado perto da costa norte da ilha da Grande Comore.

Pela primeira vez, dois fortes ciclones tropicais atingiram Moçambique na mesma época: o Idai, que provocou mais de 600 mortos no centro do país em Março e agora o Kenneth, cuja passagem na noite de 24 para 25 de Abril provocou pelo menos cinco mortos, sendo que as inundações repentinas de domingo em Pemba causaram outras três.

Há 166.084 pessoas afectadas e 40 centros de acolhimento a funcionar com 37.696 pessoas, 7.389 das quais em situação vulnerável (tais como grávidas e idosos) na sequência do Kenneth.

O ciclone Idai afetou mais de 1,5 milhões de pessoas, segundo as autoridades moçambicanas.

Muitas infra-estruturas, incluindo escolas e unidades de cuidados de saúde no centro do país, foram destruídas ou ficaram danificadas.

ANG/Angop


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw