Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 22 de Julho de 2019
Todas as categorias
Saúde
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Saúde pública/ Guiné-Bissau declarada livre de Poliomielite

2019-04-30

(ANG) - A Comissão Regional de Certificação de Erradicação da Poliomielite para África (CRCA) atribuiu a Guiné-Bissau o Estatuto de país livre desta doença à semelhança de muitos países da África e do mundo.



Segundo a nota de imprensa de Organização Mundial de Saúde(OMS) enviada à redacção de ANG hoje, a referida atribuição foi feita depois de análise das documentações submetidas à CRCA pela Guiné-Bissau para aquisição do Estatuto.

“Actualmente, com excepção da Nigéria na nossa sub-região, a África do Sul, os Camarões, a Guiné-Equatorial, o Sudão do Sul e a República Centro Africano, 41 dos 47 países da Região Africana incluindo a Guiné-Bissau adquiriram este estatuto”, segundo o documento.

Na nota consta que a Assembleia Mundial de Saúde reunida na sua 41ª sessão em Maio de 1988, em Genebra, adoptou a resolução sobre a erradicação da poliomielite no mundo, e que a referida decisão foi reiterada pela União Africana, em 2014, durante a reunião dos seus líderes.

Refere ainda que desde então, todos os países desenvolveram grandes esforços para o cumprimento deste compromisso.

“A Guiné-Bissau, fruto de inúmeras carências de ordem material e financeira bem como das constantes instabilidades político-institucionais não tinha conseguiu honrar os seus compromissos, apesar dos esforços e do empenho dos sucessivos governos”, refere a nota à imprensa.

Segundo a Nota, um total de 11 consultores, sendo sete internacionais e quatro nacionais foram distribuídos pelas regiões da Guiné-Bissau desde Maio de 2018, para trabalhar em colaboração com as autoridades do Ministério de Saúde à nível central assim como regional na criação das condições necessárias para a conquista do referido estatuto.

A representação de Organização Mundial de Saúde na Guiné-Bissau felicita o governo por ter alcançado esse facto histórico na área de saúde e alerta que é necessário uma vigilância activa das paralisias flácidas agudas com objectivo de não deixar escapar nenhum caso de poliomielite no país.

ANG/AALS/ÂC//SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw