Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sábado, 25 de Maio de 2019
Todas as categorias
Agricultura
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Fundação Mon Na Lama/ Mais de 40 famílias de Calequisse beneficiam de sementes de arroz

2019-05-15

(ANG) – Mais de 40 famílias agricultoras do sector de Calequisse, região de Cacheu, norte do país, beneficiaram segunda-feira de dez toneladas de sementes melhoradas de arroz denominada “sabidose”, produzidas localmente no ano passado, pela Fundação Mão na Lama, do Presidente da República, José Mário Vaz.



Em declarações à imprensa após a cerimónia de entrega das sementes, Alberto Sanca, um dos Engenheiros Agrónomos da Fundação Mon Na Lama disse que as sementes constituem uma variedade que pode render 7 à 8 toneladas.

“Mas nestas condições é difícil atingir essa quantidade porque, antes de mais ,os agricultores têm de utilizar os fertilizantes e outros produtos fitossanitários de forma a combater as pragas inimigas de plantas”, explicou.

Aquele responsável sublinhou que a agricultura exige grande investimento, cujo rendimento só se ganha depois de dois à três anos.

“No primeiro ano produzimos numa área muito limitada de quatro hectares e no ano seguinte conseguimos produzir oito hectares devido a problemas de solos e de salinidade”, disse.

Afirmou que outros constrangimentos ao aumento da produção enfrentado têm a ver com questões de ordenamento hidroagrícola, e que deveriam resultar em conjuntos de situações como a criação de diques de centura, de parcelamento, canal de drenagem e de irrigação.

Alberto Sanca disse que as sementes foram conseguidas graças ao esforço de toda a população do sector de Calequisse, principalmente das associações de jovens.

Disse que o espaço onde o referido arroz é produzido era terrenos abandonados, porque Calequisse tem um elevado índice de imigrantes ou seja pessoas que abandonam a localidade para novas aventuras no estrangeiro bem como a situação de êxodo rural.

“A população restante em Calequisse são, na maioria, pessoas velhas e sem forças para a lavoura. Foi nesta situação que a Fundaçao Mon Na Lama recuperou um terreno de 155,5 hectares para a produção de arroz”, explicou.

Por sua vez, a presidente da Associação de Mulheres Agricultores de Calequisse, Florencia Mendes louvou o gesto, acrescentando que dantes se deparavam com enormes dificuldades em conseguir sementes de qualidade para as suas lavouras.

Disse que depois das colheitas normalmente consumiam todo o excedente da produção e não conseguiam guardar nada para as sementeiras, salientando que, agora, com o apoio da Fundação Mon Na Lama, conseguiram superar as referidas dificuldades.

Revelou que com a quantidade de sementes oferecidas pela Fundação vão aumentar as suas produções e combater a fome e a pobreza em Calequisse.

ANG/ÂC//SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw