Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 20 de Agosto de 2019
Todas as categorias
Destaques
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política/ Movimento “Jomav” indignado com o que diz ser “onda de calúnias” contra o Presidente da República

2019-05-21

(ANG) – O vice coordenador do Movimento “Jomav”, organização política que apoia o Presidente da República José Mário Vaz, manifestou hoje a sua indignação contra o que considera “onda de calúnias” contra o chefe de Estado nos últimos tempos.



Em conferência de imprensa , para esclarecer a opinião pública sobre o qe diz ser “certas desinformações a circular na praça pública contra a pessoa do Presidente da República, o coordenador do referido Movimento disse que o PAIGC é especialista em actos de fabricação de intrigas.

“O Movimento Jomav está determinado a lutar, ao lado do Presidente da República, na sua missão de defesa do cumprimento das Leis do país”, afirmou Mussa Turé, acrescentando que o lhes interessa é ver a Guiné-Bissau avançar rumo ao desenvolvimento.

Acusou ainda o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde(PAIGC) de não compreender os ideais da democracia não obstante ser o partido mentor da democracia.

“O PAIGC considera de inimigo qualquer pessoa com opinião contrária”, afirmou, salientando que “somente com divergências de ideias podemos construir a Guiné-Bissau”.

Disse ficar estranhado com informações que circulam segundo as quais o Presidente da República recusou nomear o Primeiro-Ministro eleito.

“Devemos pensar antes de tudo em resolver os problemas de constituição da mesa da Assembleia Nacional Popular para depois pensar na nomeação do Primeiro-Ministro”, disse Mussa Turé.

Numa recente declaração à imprensa o Chefe de Estado disse que não haveria passo a seguir se não houvesse entendimento sobre a composição da mesa da ANP, já com quatro dos cinco elementos que a compõe.

Falta preencher o lugar de 2º vice-presidente da ANP, atribuído ao partido Madem G-15, cujo líder Braima Camará, não conseguiu votação suficiente para ocupar o lugar na sessão parlamentar realizada a 18 de Abril.

Nestas condições prevê-se que o partido indigite outra figura para esse lugar mas o Madem G-15 terá recusado faze-lá.ANG/ÂC//SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw