Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 20 de Agosto de 2019
Todas as categorias
Cultura
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Cultura/ Diretor-geral denuncia tentativa de ocupação indevida do terreno para Palácio de Cultura por parte de alguns dirigentes

2019-05-27

(ANG) - O Diretor-geral denunciou esta segunda-feira a alegada tentativa de ocupação ilegal do terreno destinado a construção do Palácio da Cultura por parte de alguns dirigentes.



João Cornélio Gomes Correia que falava aos jornalistas, sobre a data de comemoração do 42º aniversário da morte do Músico, Poeta e Escritor José Carlos Schwartz afirmou estar munido de documentos para provar as suas denúncias.

Lembrou que todos estão a criticar, que os concertos realizados no Estádio 24 de Setembro podem estragar o relvado, mas que se o palácio da Cultura for construído, além de auditório, vai ter também um arena, e ninguém volta a fazer espetáculos no estádio.

Cornélio Correia indicou que, se um país pretende desenvolver a sua cultura, deve pautar pela criação de infraestrutura, porque é um ponto importante no desenvolvimento da economia criativa e de indústria cultural.

“ A Direção-geral da Cultura está empenhada em legalizar e implementar as leis que regem o sector cultural, desde o direito do autor ao combate a pirataria,” frisou.

Também falou da lei de manifestação cultural que regula o papel dos artistas, promotores de eventos,e não de forma como tem estado a acontecer no país em que muitos organizam manifestações sem serem profissionais e sem licenças, e muitas agências não pagam os impostos fiscais ao Estado.

Em relação a data comemorativa do dia nacional da música, disse que não serve apenas para homenagear os heróis da cultura, mas também para refletir a cultura, e que, apesar de a atual crise política, a sua direção vai assinalar o dia com a realização de mini- evento.

Explicou que a secretaria de Estado da Juventude, Cultura e Desportos em colaboração com Centro Académico José Carlos Swartz e Associação dos músicos promovem hoje uma serenata, para a qual estão convidados todos os homens da cultura desde artistas plástica, músicos, cantores, poetas, compositores e outros.

Cornélio Correia lamentou o facto de na Guiné-Bissau ninguém paga o que consome das artes, desde quadros , músicas que passam nos espaços publicitários nas rádios, nos bares e nas bombas de combustíveis.

O Diretor-geral da Cultura referiu que havia Escola de Música Nacional fundada em 1978, denominado “José Carlos Schwartz” mas que mais tarde veio a desaparecer. Acrescentou que ele próprio,o José Manuel Fortes, Francisco Sanhá, Inês Trigo e Juca Delgado são frutos daquela instituição nos anos 79 a 82, antes de ir para Portugal fazer o curso de música.

Aquele dirigente disse que desde então mais ninguém foi enviado pelo governo para se formar em música.

Cornélio Correia disse entretanto que, felizmente, a sua direção conseguiu enviar 17 jovens, nomeadamente MC Sadjá, Samanta, Albanês, Marlom e outros para uma escola privada em Portugal para estudar a música, após uma curta formação local de seis meses.

Afirmou que existem condições para o funcionamento de uma escola de música no país . ANG/JD//SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw